[Porto Editora]Opinião "O Barão",de Sveva Casati Modignani

Titulo: O Barão
Autor: Sveva Casati Modignani



Bruno Brian di Monreale, o Barão, como é conhecido, é o último descendente de uma antiga e nobre família siciliana. Bruno cresce na Califórnia, com um pai severo e distante e uma mãe dividida entre um casamento precipitado, onde não existe amor, e uma paixão deixada na sua Sicília longínqua. No entanto, são as raízes sicilianas que levam Bruno a regressar à sua ilha natal, ao seu avô, um velho aristocrata e a Calò, o padrinho sempre presente. Serão estas duas figuras que lhe irão transmitir o saber ancestral das velhas famílias e da sua ética e código de justiça.
Bruno di Monreale envolve-se nos negócios do petróleo e das grandes multinacionais, tornando-se num homem poderoso e fascinante. Os amores inconsequentes e os casos fortuitos sucedem-se na sua vida glamorosa mas dominada pela insatisfação, até que se cruza com Karin, uma mulher reservada e misteriosa. Karin revelar-se-á o desafio por que Bruno ansiava e vai trazer-lhe o equilíbrio há tanto desejado.
Em O Barão, um dos primeiros romances da autora, Sveva Casati Modignani revela-nos os meandros de uma sociedade disposta a tudo para manter os seus privilégios, criando um mosaico de personagens vibrantes




Sveva Casati Modignani, um nome que representa algo para mim. Foi com este nome que aprendi imensas coisas, foi acompanhada deste nome que cresci e me fiz mulher. Lembro-me do primeiro livro que li, “A Viela da Duquesa”. Trabalhava na Junta de Freguesia, ao lado da biblioteca e uma amiga, que trabalhava lá segredou-me ao ouvido “Tenho algo de muito especial para te mostrar!”. Na altura não tinha qualquer ideia do que seria, nem o ponto de viragem que iria acontecer na minha vida por causa de um simples livro. E esse…esse foi apenas o primeiro de muitos! Cada livro que saía no mercado, tinha de ser lido. Cada palavra escrita tinha de ser interiorizada. Ainda hoje, tantos livros pois, ainda sigo o seu trabalho com a mesma atenção, com a mesma reverência de antigamente. A autora tem um estilo muito próprio, uma fórmula que se vai mantendo ao longo do tempo, mas que mesmo assim não se parece esgotar. Recorrendo à analepse, Sveva vai contado as suas histórias de maneira a que o leitor consiga compreender tanto o presente, como o passado. Confesso que essa particularidade é um dos factores que me mantem cativa destes livros. É verdade que muitas vezes o presente acaba por não ter tanta importância na história e tudo se passa depressa demais, mas é no passado que a autora deixa a sua mensagem. É do passado que podemos retirar uma lição de vida. Os livros de Sveva Casati Modignani contêm sempre uma ilação, algo que nos faz parar para pensar.
Este livro não foi excepção. “O Barão”, o seu segundo livro originalmente publicado em 1982, mostrou uma escrita envolvente, com muito romance e acção. Apesar de se apresentar semelhante aos demais, este livro pareceu-me possuir uma força um pouco diferente. Não consigo explicar, penso que só quem lê o livro consegue compreender ao que me refiro. É uma história de amores proibidos, segredos familiares e vinganças pessoais. Um livro que ficará na minha memória durante muito tempo. Gostei muito da relação entre Bruno e Caló, que acabou por tirar um pouco a importância do par romântico da história. Estes dois homens, que a vida quis que vivessem juntos mas sem poder contar os verdadeiros laços que os unia, formam uma união que nem o tempo consegue separar. Ambos possuem um carácter muito forte e lutam por aquilo em que acreditam, não deixando que nada, nem ninguém, magoem aqueles que amam. Possuem força e determinação para conseguir atingir os seus objectivos e quando desafiados, tornam-se letais. Não quero contar muito da história, apenas demonstrar o quanto me deixou arrebatada. Desde que chegou às minhas mãos, não consegui parar de ler. É um livro viciante, sem qualquer parte monótona e que a cada página nos faz imaginar aquilo que virá a seguir. Claro que no final acabei por ficar um pouco desgostosa, pois queria saber mais. O romance entre Bruno e Karin acabou por ser deixado um pouco em aberto, algo que não tem de ser apontado necessariamente como negativo. De qualquer forma, é um romance a não perder!

0 comentários:

Enviar um comentário