[Entrevista]À conversa com...Madeline Hunter


Desde a chegada dos seus livros ao nosso país que Madeline Hunter é uma das autoras mais aclamadas pelos leitores portugueses. É por isso que esta semana vos trago uma entrevista com esta senhora. Desde já agradeço a sua disponibilidade, pois apesar do pouco tempo livre que dispunha devido a um prazo de entrega do seu manuscrito, teve a amabilidade de responder às perguntas que lhe apresentei.




Antes de iniciar a entrevista deixo-vos apenas alguns dados biográficos que retirei do site wook.pt.

Madeline Hunter publicou o seu primeiro romance em 2000. Escreveu já vinte romances históricos e ganhou por duas vezes o prémio RITA, da Romance Writers of America, com Stealing Heaven em 2003 e Lessons of Desire em 2008. Quase todos os seus livros figuraram na lista dos mais vendidos do USA Today e é uma das autoras favoritas da publicação Romantic Times. As suas obras encontram-se traduzidas para doze línguas, tendo vendido seis milhões de exemplares. Para além de Os Pecados de Lord Easterbrook, no catálogo da ASA figuram já os seus romances As Regras da Sedução, Jogos de Sedução e Casamento de Conveniência. Doutorada em História de Arte, dá aulas numa universidade.


1 – Quando e como descobriu o seu amor pela escrita?
R: Eu comecei a escrever quase ao mesmo tempo que comecei a ler, por volta dos 4 anos de idade. O meu primeiro trabalho foi uma história sobre a escola começar depois do verão. Foi escrita numa antiga máquina de escrever que a minha família tinha na cave.


2 – Foi muito difícil de publicar o seu primeiro livro? Quer contar-nos um pouco acerca dessa aventura?
R: Foi um processo lento, mas talvez não tao longo como muitos outros. Encontrei um agente rapidamente e ela pensou que iria vender a história depressa. Por inúmeras razões acabou por demorar 3 anos até conseguir vender aquilo que eu tinha escrito, mas sentimos como se tivesse demorado muito mais tempo.


3 – Tem algum ritual que a ajuda a concentrar antes de começar a escrever?
R: Ao longo do tempo fui desenvolvendo alguns rituais. Não tenho a certeza do quanto eles me ajudam, mas normalmente costumo usa-los. No dia em que vou escrever, quando acordo  tomo imediatamente um duche e preparo o pequeno almoço, que tem de conter obrigatoriamente ovos, bebo algum café enquanto leio o jornal da manha e quando chego á minha secretária sento-me e releio as ultimas dez paginas que escrevi. Então, se estiver num dia muito produtivo e disciplinado, sigo em frente com o manuscrito


4 – Quando li o seus livros que foram publicados em Portugal (A Serie “Rothwell” e os três últimos livros da serie “Medieval”) reparei que todos pertencem ao género de romance histórico. Isso acontece em todos os seus livros, ou em apenas estas duas series?
R: Todos os meus livros publicados são romances históricos.


5 – Em que se baseia para construir os seus personagens e os locais em que as historias se desenrolam?
R: As localizações e as histórias requerem muita pesquisa. É importante fazer as coisas bem – a história tradicional (o que se passava no mundo naquela altura, como as pessoas viviam, quais as leis acerca de heranças e outras leis com respeito às mulheres e propriedades, etc). Para os personagens, tento mante-los verdadeiros para o período de tempo usado, mas talvez não totalmente. As minhas personagens femininas, em particular, tendem a ser insatisfeitas com as restrições sociais que elas têm de atender no seu mundo.


6 – Planeia voltar a Portugal?
R: Eu adoraria voltar, mas neste momento não tenho quaisquer planos de o fazer.


7 – Tem alguma mensagem especial para os seus leitores portugueses?
R: Eu sempre apreciei profundamente os emails que os meus leitores portugueses me enviaram. Por vezes estou na recta final do prazo de entrega de algum livro e não posso logo responder, mas ler as vossas palavras faz com que o meu dia se torne mais bonito.


8 – Tem alguns conselhos para aqueles que querem seguir uma carreira como autor?
R: Se quiserem ser escritores, têm de ser leitores também. Quase tudo o que aprendemos vem daquilo que lemos. Então aconselho-vos só a começar a escrever. Criem uma historia na vossa cabeça, saibam o final e comecem a escreve r. Não se preocupem no início se irá ser publicado, apenas apreciem o processo de criar um mundo e os seus personagens. Aprendemos com a prática, e isso é especialmente verdadeiro na escrita.



Espero que tenham gostado!
Até à próxima.

6 comentários:

  1. É uma das minha escritoras preferidas!! Gostei muito a entrevista! Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Gostei imenso da entrevista! Parabéns!
    É uma das minhas autoras de eleição e com quem já tive o prazer de estar na última vez que esteve cá :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostaste!
      Estiveste com ela? Que sorte *.*
      Continua a visitar o blog :P

      Eliminar