21/11/2018

[TopSeller]Opinião "O Egomaníaco", de Vi Keeland


O Egomaníaco, de Vi Keeland

O que dizer de Drew Jagger?
É presunçoso, egocêntrico e arrogante…

Eu estava bastante satisfeita com o meu novo consultório, que arrendei em pleno centro da cidade, até que o Drew apareceu. Foi uma confusão! Pensei que ele era um assaltante e tentei atacá-lo, até que ele, calmamente, me esclareceu: eu é que estava no escritório dele. Ou seja, descobri que tinha sido enganada.
O Drew achou piada à situação e à minha ingenuidade (assim como a outros dos meus… atributos), e propôs um acordo irrecusável: partilharmos o espaço até eu encontrar um novo, e em troca eu atenderia os telefonemas dele. Nem parece mau, pois não?
O problema é que juntos somos a receita ideal para o desastre. O Drew é advogado especialista em divórcios —— cínico, convencido e estupidamente sexy ——, e eu sou conselheira matrimonial, interessada em salvar os casamentos que ele quer ajudar a desfazer. As discussões entre nós são tórridas e as diferenças mais do que óbvias. A única coisa que nos une é o espaço que partilhamos… E uma atração cada vez mais louca e incontrolável. ... mas confesso: não consigo deixar de pensar em como será beijar aqueles lábios tentadores! 


Depois de “O Boss” e “O Prof” confesso que estava com um misto de sentimentos, pois acreditava que seria difícil continuar a sentir a mesma coisa por qualquer outro livro da autora, mas que hei-de fazer? Afinal, só tenho uma coisa a dizer: “Oops! She did it again!!!!”. Caramba Vi Keeland, assim não vale… Uma pessoa pega num livro, num momento de descanso e logo volto aquele rebuliço que nos deixa completamente mergulhadas na trama e alheias a qualquer outra coisa que se passa ao nosso redor. É como digo, se adorei os livros os outros livros, este não ficou atrás e espero ansiosamente pela publicação do próximo. Pronto, sei que pareço uma maluquinha, que fala sem pensar, mas esta autora tem entrado na minha estante e parece querer ficar por lá e aumentar o seu lugar de destaque.
Em relação às personagens principais, Drew e Emerie foram personagens que desde o início se mantiveram fieis a si próprios, mantendo a sua personalidade e ao mesmo tempo que se iam aproximando, criavam também um enredo próprio que não me pareceu forçado e virado para o seu lado sexual. Claro que é um facto que este tipo de livros tem um alto teor sexual, mas este foi um daqueles livros que apesar de terem um grande conteúdo nessa temática, este pareceu funcionar lindamente, sendo que na minha opinião apenas se foi aprofundando à medida que os dois se iam conhecimento e não foi arremessado logo a partir do primeiro momento, algo que muitas vezes acontece neste tipo de livros. Agora, entre as personagens que intervieram no livro, aquela que mais odiei foi o Baldwin…homenzinho idiota, que durante tanto tempo não quis saber da Emerie e de repente, quando ela está a conseguir dar/ter atenção de outro homem acorda finalmente para a vida e acha que pode pôr e dispor da vida da rapariga.
Adorei o humor utilizado pela autora, na forma como as duas personagens principais interagiam entre si, mantendo sempre aquele discurso carregado de segundas intenções e fazendo com que tivesse imensa vontade de saber o que se iria passar a seguir.
De resto, não tenho nada a acrescentar, até porque não vos quero estragar a surpresa. Este é um livro fantástico e que nos tira grandes gargalhadas. Sem dúvida, uma excelente prenda de natal.
TopSeller, estou à espera do próximo!

Sem comentários:

Publicar um comentário

@Way2themes

Follow Me