Opinião "Styxx", de Sherrilyn Kenyon

Titulo: Styxx
Autor: Sherrilyn Kenyon



Just when you thought doomsday was over...
Centuries ago Acheron saved the human race by imprisoning an ancient evil bent on absolute destruction. Now that evil has been unleashed and it is out for revenge.
As the twin to Acheron, Styxx hasn’t always been on his brother’s side. They’ve spent more centuries going at each other’s throats than protecting their backs. Now Styxx has a chance to prove his loyalty to his brother, but only if he’s willing to trade his life and future for Acheron’s.
The Atlantean goddess of Wrath and Misery, Bethany was born to right wrongs. But it was never a task she relished. Until now. She owes Acheron a debt that she vows to repay, no matter what it takes. He will join their fellow gods in hell and nothing is going to stop her.
But things are never what they seem, and Acheron is no longer the last of his line. Styxx and Acheron must put aside their past and learn to trust each other or more will suffer.
Yet it’s hard to risk your own life for someone who once tried to take yours, even when it's your own twin, and when loyalties are skewed and no one can be trusted, not even yourself, how do you find a way back from the darkness that wants to consume the entire world? One that wants to start by devouring your very soul?



Quem acompanha o blogue sabe que não tenho por hábito escrever opiniões em português para os livros que leio em inglês, mas vou abrir excepção para este livro. A verdade é que Styxx marcou-me de uma forma profunda e ainda me encontro um pouco abalada com tudo o que li. Quem pensa que Acheron é único, que nunca mais iria ler algo como a sua história, desengane-se. Styxx é tudo o que Acheron é e muito mais… A verdade é que não consigo bem distinguir o melhor de cada um deles ou até mesmo escolher um deles para ser o melhor. Há muito tempo que Sherrilyn Kenyon não nos apresentava um livro tão bom…
Styxx não é uma personagem desconhecida para quem segue esta serie, a verdade é que o conhecemos como um vilão, o irmão gémeo malvado que adora dificultar a vida de Acheron, a verdade é que neste livro iremos conhecer um pouco da sua vida e ver todos os acontecimentos de uma perspectiva diferente. A diferença está à vista de quem ler o livro! Não só Ryssa se apresenta como uma princesa mimada e odiosa, como também Acheron toma atitudes que me deixaram muito triste. Acheron sempre se apresentou como uma personagem muito querida e justa, não é que deixe de o ser, apenas o vemos de maneira um pouco diferente, como um ser humano normal capaz de errar nos seus próprios julgamentos e nem as suas próprias regras o fizeram demover daquilo que acreditava ser verdade. Ele sempre nos ensinou que há três versões de cada evento, a nossa, a  dos outros e a da verdade que se encontra no mais ou menos no meio, mas nem esse regra o salvou de punir o seu irmão injustamente. Como se costuma dizer, é mais fácil falar ou dar conselhos aos outros do que segui-los na nossa própria vida. A verdade é que a sua irmã e o seu tio toldaram completamente a sua mente e na posição dele, depois de tanto sofrimento, qualquer pessoa iria cometer todos aqueles erros. Só nunca pensei que Ryssa fosse tão cruel e tão mimada ao ponto de prejudicar tanto um irmão para poder ajudar o outro, posso afirmar sem qualquer dúvida que ela sofria de dupla personalidade e por isso ainda não me tinha apercebido do quanto ela poderia ser malvada e tão parecida com o seu pai.
Gostei muito do romance entre Styxx e Bethany. Um amor que foi crescendo e fortalecendo ao longo dos anos. Cada momento, cada cena entre eles que nos foi apresentada mostrava a força dos sentimentos que partilhavam. Era um amor forte e ao mesmo tempo inocente. A forma como se viram separados acabou por ser mais uma forma da autora mostrar o quanto a personagem de Styxx sofreu e o quanto foi injustiçada, tanto por humanos como pelos deuses.
Gostaria apenas de focar um erro que encontrei no livro. Enquanto lia este livro, tinha também do meu lado um exemplar do livro do Acheron -  a certa altura fiquei com curiosidade de saber o que o Acheron estava a pensar neste ou naquele momento e por isso encontrei uma discrepância nas datas de um acontecimento. No livro do Acheron, o seu tio Estes morreu no ano de 9530 A.C., enquanto no livro de Styxx, ele morreu em 9532 A.C. É um erro pequeno, mas mesmo assim importante, tendo em conta os acontecimentos da altura. Não desvalorizo o livro devido a este engano, mas penso que a autora devia ter tido em atenção o livro do Acheron ao mesmo tempo que escrevia este. Fico também na dúvida se este foi apenas um erro de impressão da minha versão, até porque li várias opiniões do livro e não me pareceu que mais alguém tenha notado isto. Se alguém leu o livro e também notou, por favor avise!
Vários foram os mistérios que acabaram desfeitos, um ou outro que ficou em aberto, mas com ideias deixadas para que o próprio leitor tira-se as suas conclusões e, como não podia deixar de ser, a autora preparou o caminho para o próximo livro. Não quero entrar em muitos mais detalhes, porque não quero estragar a vossa surpresa ao ler o livro, apenas leiam-no. Mesmo aquelas pessoas que já desistiram da serie por uma ou outra razão, neste livro irão reencontrar aquele sentimento, aquela vontade de saber mais um pouco, aquele “não sei o quê” que vos prendeu no inicio da serie. Styxx traz-nos uma Sherrilyn Kenyon que se encontrava perdida. Ela reencontrou aquele seu toque especial e o resultado foi extraordinário. Espero que gostem tanto deste livro como eu gostei!

1 comentário:

  1. aii já vais ai!! :D falta-me o anterior e depois é ESTE :D

    ResponderEliminar