[SDE]Opinião "A Casa de Gaian",de Anne Bishop


Anne Bishop




















Sinopse: O regresso de Anne Bishop para o final desta brilhante e misteriosa nova trilogia.
Começou como uma caça às bruxas, mas o plano do Inquisidor-Mor para eliminar todos os vestígios de poder feminino que há no mundo prevêem agora a aniquilação dos barões de Sylvalan que se lhe opõem… e a destruição do berço de toda a magia: a Serra da Mãe. Humanos e feiticeiras formam uma aliança difícil com os Fae para fazerem frente a esse inimigo terrível. No entanto, mesmo unidos, não têm força suficiente para resistirem aos exércitos mobilizados pela Inquisição. Procuram por isso o apoio do último aliado ao qual podem recorrer: a Casa de Gaian. As feiticeiras que vivem isoladas na Serra da Mãe têm poder suficiente para criarem um mundo… ou para o destruírem.
O antigo lema das bruxas: «Não fareis o mal», arrisca-se a ser esquecido por força de uma necessidade mais premente: a necessidade de sobreviverem.



Opinião: Foi com alguma tristeza que dei por terminada a leitura deste livro e o final desta trilogia. Não é fácil dizer adeus a personagens e histórias tão cativantes, fica sempre aquela sensação de perda e de que algo mais poderia ser contado.  Os livros de Anne Bishop têm tendência para nos deixar desta forma, pois desde que se inicia a leitura do livro até que o terminamos, acompanhamos o crescimento das personagens e a forma como as suas acções as vão moldando e tudo isso vai fazendo com que ganhemos uma ligação muito próxima com a história. Como exemplo, apresento a trilogia das Jóias Negras. Depois dos três livros surpreendentes acerca dos Sangue, muitos foram aqueles que quiseram ler mais e nunca se cansaram de cada vez que um livro novo ia saindo, pois de vez em quando havia vislumbres da vida que as personagens mais queridas na trilogia estavam a levar no momento.
Voltando ao tema principal, este terceiro volume da trilogia Pilares do Mundo vem com uma grande carga emocional agregada. Não só por se tratar da guerra final contra os Inquisidores, mas também pela preparação dessa batalha. Confesso que a primeira metade do livro foi uma leitura um pouco morosa, devido aos detalhes com que tudo estava a ser descrito. Não que existisse grandes descrições estratégicas, tudo o que o livro contém são informações preciosas acerca do que se está a passar, mas são tantos os acontecimentos que obriga o leitor a fazer uma leitura mais cuidada para que não se sinta perdido. A partir do momento em que se inicia a guerra, tudo acontece de forma fluída e a leitura começa a ser feita de maneira mais rápida. Quando dei por mim já tinha terminado a leitura do livro.
Em relação às minhas partes favoritas, gostei particularmente da cena em que Selena ganha o lugar de Senhora da Lua e Rainha das Bruxas. Penso que foi uma grande lição para Dianna, que mesmo sabendo que o seu poder estava em decaída se mantinha demasiado arrogante. Outra parte que me deixou muito divertida foi o momento em que Selena conta a Lucian que ele e a irmã eram WiccanFae. Foi um confronto bastante divertido e que me deixou muito satisfeita, finalmente alguém conseguia fazer frente ao grande Senhor do Fogo. Claro que mais uma vez Lucian decepcionou-me, principalmente quando se serviu de Aiden para saber a verdade acerca de Ari. Tal como o Bardo senti-me usada, pensei mesmo que o grande Lucífero estava mudado, que o confronto com Selena o tinha mudado para melhor. Estava enganada, tudo não tinha passado de um teatro para poder saber mais acerca do que se estava a passar. De qualquer maneira, gostei da forma como Ari se defendeu quando se deparou com ele. Gostei também da forma como a relação de Falco e Breanna se foi desenvolvendo e também da reacção de Liam ao relacionamento da irmã com o Senhor dos Falcões.
No final, e porque esta opinião já está muito extensa, fiquei com vontade de saber como as vidas as personagens evoluíram a partir do momento em que se fixaram nas suas casas. O livro acabou de forma a deixar as nossas mentes voarem e imaginarem o que poderá ter acontecido em seguida. De qualquer maneira foi uma leitura fantástica, muito ao estilo de Anne Bishop e que recomendo vividamente.
Agradeço à Saída de Emergência por nos trazer estes livros fantásticos e espero que, muito em breve nos traga mais obras desta autora.

Excerto:
“ - As wiccanfae não merecem estar entre nós...e Tir Alainn não é o lugar delas.
- Nesse caso, sugiro que se vá embora.
Lucian fixara-a com o olhar até Selena começar a perder mão sobre si mesma, em vias de se descontrolar.
- Eu sou Fae - afirmara - e sou Filha da Casa de Gaian, o que implica que também sou wiccanfae. No entanto, se eu sou wiccanfae,o que julga o Senhor do Fogo que é?
- Como?!
- O fogo é um dos elementos da Mãe Universal. Não é uma dádiva dos Fae. O único motivo pelo qual o senhor o domina é por ser descendente de pelo menos uma pessoa que pertencia à Casa de Gaian.
- Mentira - brandira Lucian - Eu sou Fae.
- Wiccanfae! - atirara Selena, no mesmo tom. - Quem tem o seu poder não pode ter sangue puro. Quem julgava o senhor que era? (...)”

0 comentários:

Enviar um comentário