[Bertrand Editora]Novidades a caminho...da Bertrand Editora

Código de Conduta, de Brad Thor
Género: Literatura / Thriller
N.º de páginas: 408
PVP: € 17,70
Data de lançamento: 12 de janeiro de 2018  

No seio de uma das organizações mais poderosas do mundo, existe um núcleo secreto com uma agenda arrasadora. Os seus membros recebem proteção e privilégios incríveis; são considerados uma elite, são intocáveis. Mas uma gravação de quatro segundos transmitida para Washington, DC, desencadeia uma ação clandestina que lança Scot Harvath, o excecional agente do contraterrorismo, na missão mais perigosa da sua carreira.
Aquilo que começa por ser um favor vai transformar-se num drama que se estende a todo o planeta, em que grandes paradas do foro privado se jogam num contexto de intriga internacional e duplicidade política.
Uma intriga cortante, personagens complexas e surpresas a cada página, consolidando Brad Thor como um dos grandes mestres da intriga internacional.

Escola da Noite, de Lee Child
Género: Literatura / Thriller
Tradução: Vasco Teles de Menezes
N.º de páginas: 400
PVP: € 18,80
Data de lançamento: 19 de janeiro de 2018

Estamos em 1996 e Reacher ainda está no exército. De manhã dão-lhe uma medalha e à tarde mandam-no de volta para a escola. Nessa noite está estafado.
Há mais dois homens na turma – um agente do FBI e um analista da CIA. São ambos agentes de primeira e ambos se perguntam o que estão ali a fazer.
E depois descobrem: uma célula jiadista em Hamburgo recebeu a visita de um mensageiro saudita. Um agente da CIA infiltrado ouve dizer: «O americano quer cem milhões de dólares.»
Para quê? E de quem? Reacher e os amigos terão de o descobrir. Se falharem, o mundo será palco de um atentado terrorista de enormes dimensões.
Da América a Hamburgo, de Jalalabad a Kiev, a narrativa dispara como uma bala por territórios ambíguos, identidades falsas e novos e terríveis inimigos.

Doida Não e Não!, de Manuela Gonzaga
Género: Biografia
N.º de páginas: 408
PVP: € 17,70

A mulher que enfrentou Egas Moniz, Júlio de Matos e os sábios da época.

Filha e herdeira do fundador do Diário de Notícias, mulher do administrador do mesmo jornal, o escritor Alfredo da Cunha, Maria Adelaide Coelho da Cunha veio a ser presa num manicómio, o hospital Conde de Ferreira, no Porto, por um «crime de amor». Os factos relevantes têm início em Novembro de 1918: era uma vez uma senhora muito rica que fugiu de casa, trocando o marido, escritor e poeta, por um amante. Tinha quarenta e oito anos, pertencia à melhor sociedade portuguesa. O homem por quem esta senhora se apaixonou tinha praticamente metade da sua idade e fora seu motorista particular. A história chocou a sociedade da época e foi conhecida além-fronteiras.

0 comentários:

Enviar um comentário