[Planeta]Novidades Julho 2014

Titulo: Deusa
Autor: Josephine Angelini
N. Páginas: 328
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 2 de Julho


Após libertar por acidente os deuses do seu cativeiro no Olimpo, Helena tem de encontrar uma forma de os voltar a aprisionar, sem dar origem a uma guerra devastadora. Mas os deuses estão zangados, e sua sede de sangue já fez vítimas mortais. Para piorar a situação, o Oráculo revela que um tirano diabólico se esconde no seu seio e que fomenta a discórdia entre o grupo outrora sólido de amigos.
Assim como os deuses usam os Rebentos uns contra os outros, a vida de Lucas está confusa. Ainda não tem certeza se Helena o ama ou se prefere Oríon, Helena é forçado a tomar uma decisão terrível, pois a guerra está à porta.


Titulo: A Voz
Autor: Juliet Marillier
N. Páginas: 456
PVP: 20,95 €
Disponível a partir de 2 de Julho


Há um ano, Neryn nada tinha a não ser um Dom Iluminado que mal compreendia e o sonho vago de que a mítica base rebelde de Shadowfell pudesse ser real. Agora, é a arma secreta dos Rebeldes e a sua grande esperança de fazerem vingar essa revolta secreta contra o rei Keldec, que terá lugar no dia do Solstício de Verão. O destino de Alban está nas suas mãos. No entanto, para se preparar para a batalha sangrenta que a espera mais adiante, Neryn terá de procurar primeiro o ensinamento de mais dois Guardiães. Entretanto, Flint, o homem por quem se apaixonou, está no limite das suas forças enquanto espião na corte do rei e acumulam-se as suspeitas da sua traição. A confiança dissipa-se de dia para dia quando a notícia da existência de uma outra Voz chega aos ouvidos dos Rebeldes: uma Voz leal a Keldec, que possui todo o poder de Neryn e nenhuma da sua benevolência ou autoridade arduamente conquistada. Nas vésperas da insurreição, Neryn terá de descobrir uma forma de reconhecer – e explorar – a fragilidade do seu adversário. Em jogo, está a liberdade do povo de Alban, a possibilidade de os Boa Gente saírem dos esconderijos e a oportunidade de Flint e Neryn se unirem finalmente.

Titulo: A Conjura De Cortés
Autor: Matilde Asensi
N. Páginas: 274
PVP: 16,65 €
Disponível a partir de 02 de Julho


A Conjura de Cortés culmina o percurso de Matilde Asensi pelo Século de Ouro espanhol, quando Espanha era o centro do mundo, visto desta vez a partir da Nova Espanha.
Uma maneira de contemplar a História que a tornou credora do reconhecimento dos leitores e da crítica e que, claro, está cheia de intrigas, corrupção, aventuras e imaginação.
Esta trilogia Martín, Olho de Prata é protagonizada pela intrépida Catalina Solís que, depois de embarcar rumo às ilhas do Caribe, se converterá num dos muitos contrabandistas que na época navegavam naqueles mares. Sobrevivendo numa ilha deserta durante dois anos, Catalina começa uma nova vida sob o nome de Martín, Olho de Prata.
Neste romance, Catalina vê-se obrigada a desmascarar uma grande conjura concebida pelos inimigos para derrubar o rei de Espanha. A aparição de um mapa que revela onde se pode encontrar o lendário tesouro de Hernán Cortés desempenhará um papel essencial no plano de Catalina para descobrir os traidores e cumprir o seu juramento de acabar com os Curvos. A dupla personalidade de Catalina Solís / Martín Nevares enfrentará, além disso, um grave risco para o seu equilíbrio: o amor. Uma vez mais, Matilde Asensi irá surpreender os leitores com um fim inesperado.


Titulo: Enquanto Dormes
Autor: Alberto Marini
N. Páginas: 304
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 2 de Julho


Ao contrário do que costuma acontecer, o filme Enquanto Dormes deu origem a este livro, que explora os problemas da sociedade de hoje, onde nem tudo é o que parece e onde pessoas com graves problemas mentais andam à solta e conseguem enganar os que o rodeiam. Enquanto dorme, muitas são as coisas desagradáveis que acontecem no mundo. O que não espera é que lhe aconteçam a si. A sua casa, o seu apartamento ou o seu quarto são locais onde se sente seguro, onde baixa a guarda, porque o perigo está do outro lado da porta. Ou, pelo menos, assim devia ser. Enquanto dorme, Cillian está junto de si. É o porteiro do seu prédio, e não é boa pessoa. Enquanto dorme, Cillian detém as chaves de todos os apartamentos, possuindo uma boa razão para estar perto de si.
Cillian, porteiro de um edifício de Nova Iorque, sente prazer em prejudicar as pessoas que o rodeiam. Ele conhece a fundo todos os inquilinos do prédio. Controla as suas idas e vindas, estuda-os, descobre os seus pontos fracos, os seus segredos.
Clara, a condómina do 5.º B, é a sua próxima vítima, e ele não parará enquanto não conseguir destruir-lhe a vida. Todas as manhãs, Cillian faz um jogo consigo próprio a que chama «roleta russa»: coloca a sua vida no abismo, procurando um motivo para viver mais um dia. Incapaz de ser feliz, o seu único conforto é impedir que os outros o sejam. Clara é a sua antítese: uma mulher feliz, em paz, que reage com um sorriso a tudo o que a vida lhe oferece. A sua indestrutível vitalidade transtorna Cillian, que levará o seu jogo ao extremo. Um jogo que se revelará mais complexo do que alguma vez podia imaginar.


Titulo: Quando O Ódio Matar
Autor: Carina Bergfeldt
N. Páginas: 384
PVP: 18,85 €
Disponível a partir de 2 de Julho


O leitor vai querer resolver o enigma do assassínio, mas também vai querer saber qual das três mulheres - Júlia, Ing-Marie ou Anna - planeia matar o pai. Terá a sensação de estar a cooperar com as investigações, percebendo pistas escondidas e tirando conclusões com a protagonista. Um thriller negro e psicológico, que marca a estreia literária de Carina Bergfeldt, a jornalista sueca que foi a única repórter que passou a noite com as vítimas da matança na Noruega, onde morreram 76 pessoas, em 2011. Uma experiência que mudou totalmente a sua visão como jornalista e a sua forma de enfrentar o mundo «que é tão terrível como o policial mais negro.» A violência doméstica e o abuso de menores são expostos neste livro, que retrata com realismo, o que uma vítima de maus-tratos pode acabar por fazer para ter paz de espírito.
Um livro, que segundo a autora, desperta as consciências para este problema social à escala mundial. Na Suécia, a cada 40 minutos uma mulher denuncia maus-tratos em casa e uma em cada quatro sofre-os.
Como fazer justiça poética com os males do mundo e ser bem sucedido é a ideia-base deste thriller. Uma ideia inspiradora que surgiu da série televisiva Dexter, cujo protagonista cometia crimes-perfeitos e saía sempre impune. Em Quando o Ódio Matar, a protagonista olha para trás e relembra todos os anos em que planeia matar o seu pai. Ao contrário de Dexter, é uma pessoa sofrida que deseja fazer do mundo um lugar melhor.
Com grande minúcia, uma mulher planeia a morte da pessoa que converteu a sua vida num inferno, o pai. O macabro plano toma forma num bloco-notas em que a capa tem umas apetitosas madalenas. Uma nota no frigorífico com as palavras: «Matar o papá» recorda-lhe qual o motor que impulsiona a sua vida. Enquanto o plano parricida avança, é encontrado o cadáver de uma mulher num lago da cidade de Skövde. A inspectora Anna Eiler trabalha no caso, mas não é a única: duas jornalistas locais, Ing-Marie Andersson e Julia Almliden, realizam a sua própria investigação. As três têm razões pessoais para resolver o assassínio, as três escondem algo, mas só uma delas é capaz de preparar a sangue-frio um crime mais atroz do que aquele que pretende resolver.

Titulo: Mandela Meu Prisioneiro Meu Amigo
Autor: Christo Brand & Barbara Jones
N. Páginas: 280
PVP: 17,95 €
Disponível a partir de 2 de Julho


Um testemunho que narra os sacrifícios a que Mandela foi sujeito com pormenores vívidos, contados pelo guarda prisional Christo Brand. Christo Brand é filho do capataz de uma fazenda. Passou os primeiros anos a brincar com crianças negras e mestiças numa propriedade da Província do Cabo Ocidental, e pouco sabia sobre o cruel regime do apartheid, que vigorava no resto do país. Ao completar a escolaridade, teve de cumprir o serviço militar obrigatório. Amante da paz e educado nos valores cristãos, Christo sentiu relutância em se alistar na polícia. Em vez disso, optou por ingressar nos serviços prisionais e acabou por ser destacado para Robben Island, para guardar os homens mais perigosos da África do Sul – Nelson Mandela e os seus camaradas revolucionários –, os endurecidos combatentes do Congresso Nacional Africano (ANC). Contra todas as probabilidades, Christo e Mandela criaram uma amizade duradoura. Mandela aconselhou o jovem sobre a necessidade de estudar e felicitou-o por ocasião do seu casamento e do nascimento dos filhos. Christo tornou possível a Mandela contornar algumas regras para transmitir a sua mensagem a outros activistas e ajudou-o a suportar a dureza das condições de vida na prisão.
Neste livro, Christo conta-nos pela primeira vez a história incrível e comovedora desta amizade tão invulgar. Christo Brand era um rapaz sul-africano, educado na cultura africânder, que engendrou o apartheid. Nelson Mandela, negro e filho de um chefe tribal, foi criado numa aldeia, estudou Direito e assumiu a luta contra o apartheid em defesa de uma nação.
Os seus universos opostos colidiram quando Christo foi enviado para Robben Island para guardar os perigosos e infames terroristas, dos quais Mandela era o chefe incontestado. Os dois homens estariam destinados a ser inimigos. Em vez disso, travaram uma extraordinária amizade, assente em pequenos gestos de humanidade: Christo, jovem honesto que prezava a decência e as boas maneiras, despertou a atenção do sensato combatente da liberdade. Quando a mãe morreu, não lhe foi dada autorização para ir ao funeral e chorou de vergonha e desespero. Christo testemunhou muitos desses momentos de desesperança ao longo dos anos, quando Winnie levou em segredo a neta a Robben Island, arriscou a liberdade para que Mandela a segurasse nos braços por instantes. A amizade entre os dois homens cimentou-se pelos momentos partilhados ao longo dos anos.

0 comentários:

Enviar um comentário