[Asa]Opinião "Provocadora",de Madeline Hunter

Titulo: Provocadora
Autor: Madeline Hunter


Verity Thompson desapareceu no dia do seu casamento. O seu paradeiro manteve-se secreto durante dois anos. Um longo período em que o marido, o conde de Hawkeswell, viveu na penúria e na incerteza. Verity deixou para trás uma fortuna imensa mas inacessível, pois o seu óbito não foi declarado. Nem poderia sê-lo pois ela está bem viva. Ao ser obrigada a casar, Verity fugiu de Londres e refugiou-se, incógnita, no campo. Sem qualquer interesse pelo título ou estatuto do marido, abdicou da sua fortuna em troca da liberdade. Mas o passado tem os seus próprios desígnios e a jovem vê-se agora obrigada a regressar à cidade e a um casamento sem amor. Por seu lado, o arrogante Hawkeswell está disposto a chegar a um acordo: se Verity lhe conceder três beijos por dia, ele não a obrigará a cumprir os deveres conjugais. Mas, claro, há beijos e beijos... e Verity vai perceber até que ponto se arruinou ao entregar-se às mãos hábeis de um mestre.



Madeline Hunter sempre foi uma excelente contadora de histórias e este livro é apenas mais uma prova do seu talento.
Ela apresenta-nos uma obra fantástica, com alicerces bem definidos e na qual já tinha tido uma introdução no primeiro livro desta série (“Deslumbrante”). Desde a leitura desse livro que me mantinha demasiado curiosa acerca do mistério que rodeava o desaparecimento da esposa do conde de Hawkeswell. Apresentando-se este uma personagem tão caricata, sempre duvidei da veracidade do seu assassínio, havia algo que me fazia desconfiar que algo mais tinha acontecido e sempre desconfiei que ela se escondesse na casa das Flores Preciosas, apenas não conseguia descobrir qual seria a sua verdadeira identidade devido ao facto que as quatro mulheres se mantinham silenciosas acerca dos seus passados e das razões pelas quais se tinham refugiado naquela casa.
A forma como tudo se inicia neste livro deixou-me quase adivinhar o que se iria seguir. Não é que tenha estragado toda a cena, mas talvez, se tudo tivesse começado da perspectiva de Verity o suspense fosse um pouco maior. Não tenho dúvidas acerca da minha curiosidade do momento em que ela o viu a aparecer na estufa, mas como tudo se passou do “point-of-view” de Hawkeswell, esses pormenores foram um pouco esquecidos. A história foi muito interessante e divertida. Verity não foi a típica personagem tola que se deixa levar pelas ideias dos outros e, mesmo vivendo num período em que o homem é que ditava as leis, mostrava ter ideias próprias e lutava por aquilo que desejava. Claro que, devido à sua personalidade forte, muitas foram as vezes que acabou por não interpretar devidamente aquilo que o seu marido dizia e isso acabou por dar origem a algumas confusões entre eles.
Não irei contar mais acerca do que se passa no livro, a única coisa que vos posso dizer é que irão ficar deliciados e as horas de leitura, passadas na companhia deste “Provocadora” são muito bem aproveitadas e cheias de momentos fantásticos. Espero ansiosa pelo terceiro livro que contará a história de Célia e Jonathan Albrighton. Depois do pouco que conheci dele durante este livro acredito que será mais uma obra completamente inesquecível. Estou irremediavelmente rendida a esta série!

1 comentário:

  1. Adorei a Resenha!!

    Seguindo e Curtido!!
    Retribui?
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    https://www.facebook.com/overdoselite

    Bjus

    ResponderEliminar