[TopSeller]Opinião "Midnighters: A Hora Secreta",de Scott Westerfeld

Titulo: Midnighters: A Hora Secreta
Autor: Scott Westerfeld



Coisas estranhas acontecem à meia-noite. Ninguém se mexe. O tempo para. Durante uma hora a cidade de Bixby pertence às criaturas das trevas.
Jessica Day chega a Bixby contrariada por deixar Chicago para trás, e as primeiras impressões não são positivas. A pequena cidade é muito quente, a água tem um sabor estranho, e Jessica não demorará a descobrir que este não é o único aspeto peculiar de Bixby.
Logo na primeira noite ela desperta de um sonho esquisito, que lhe revela que é a única pessoa que existe e que o mundo está suspenso no tempo. Rapidamente se aperceberá de que não se trata apenas de um sonho, e nesse momento o seu mundo muda para sempre. Jessica descobre um restrito grupo de jovens, chamado Midnighters, que consegue mover-se livremente numa hora da noite que não existe para mais ninguém: a 25.ª hora. Durante anos, os Midnighters e as criaturas das trevas partilharam esta hora tentando evitar-se mutuamente. Mas tudo isso muda com a entrada em jogo de Jessica e dos seus poderes secretos.



Lembro-me de quando este livro foi lançado em Portugal e na curiosidade que me suscitou a sua sinopse. Scott Westerfeld pareceu-me ser um autor fantástico e que me faria sonhar com as suas histórias. Lançado numa altura em que o YA parecia estar ainda por descobrir, este foi um livro que, com a sua simplicidade e enredo elaborado, acabou por captar a atenção daqueles que o leram e o autor tornou-se rapidamente famoso no nosso país.
Confesso que tinha altas espectativas, talvez por isso me tenha sentido um pouco desapontada com o que li. Gostei muito do livro, tem uma história viciante e personagens muito bem construídas, mas a linguagem simples como tudo se passa acabou por simplificar em demasia algo que poderia ter sido explorado de uma forma mais profunda. Ao mesmo tempo, quero focar que nada foi deixado ao acaso. Desde a criação física e psicológica das personagens, à forma como interagem entre si, tudo foi pensado de maneira a que o leitor não se sentisse à parte e que acompanhasse de uma forma quase presencial o que estava a acontecer. Gostei bastante das diferenças existentes naquele grupo de jovens, transmitiu a ideia do lema “todos diferentes, todos iguais”, em que cada um é diferente à sua maneira, mas que na sua essência todos passam pelas mesmas dificuldades para se manterem vivos.
Um livro que prima pela originalidade e pelo cuidado do autor em construir este misterioso mundo. Recomendo!

0 comentários:

Enviar um comentário