[Quinta Essência]Opinião "A Rapariga dos Olhos Azuis",de Tara Moore

Titulo: A Rapariga dos Olhos Azuis
Autor: Tara Moore



Anya Keating adora seu trabalho como assistente de Macdara Fitzgerald, dono da deslumbrante propriedade Lismore e dos seus cavalos de corrida. Macdara é um patrão indulgente e generoso e Anya tem muito carinho por ele. Mas quando Macdara a pede precipitadamente em casamento, a amizade de ambos - e a posição dela - fica ameaçada, e Anya sente-se dividida entre a sua lealdade para com Macdara e os seus sentimentos pelo neto dele, Fergal, o belo treinador de cavalos. Eis que aparece Orla Fitzgerald, neta distante de Macdara. Orla pode ter deixado Lismore em criança, mas voltou uma mulher sofisticada e bonita. Tão bonita, de facto, que a maioria dos homens ficam encantados por ela - e Anya vê com crescente apreensão enquanto Orla tecer a sua magia em redor de Fergal. No entanto, Orla pode não ser a rapariga de olhos azuis que os outros julgam. Há mistérios sombrios na vida da propriedade. O passado de Orla contém uma tragédia, e ela está determinada a reivindicar o seu direito de primogenitura, independentemente de quem se atravessar no seu caminho.



Tara Moore chegou até nós no ano passado e desde que li esse seu livro fiquei ansiosa pela chegada de mais obras da autora. Tara Moore não é apenas mais uma no vasto mundo da literatura, na verdade a autora consegue transformar uma simples historia em algo mágico e cativante, deixando os seus leitores rendidos e também ansiosos por descortinar os imensos mistérios que os seus livros contêm.
Gostei muito deste livro. Tem uma história bem estruturada, em que as personagens vão sendo apresentadas sequencialmente e da mesma forma, os mistérios envoltos nas suas vidas vão tomando forma e adensando a trama. Para quem leu o livro anterior, este livro não trouxe qualquer novidade. A qualidade é mantida e a leitura é realizada de uma forma fluida e sem grandes dificuldades. Penso que este é uma das particularidades da autora, ela transforma uma história simples em algo complexo sem recorrer estratégias que poderiam envolver tudo numa extensa teia e que apenas viria a dificultar a vida do autor. Assim, com uma enorme simplicidade temos ao nosso dispor um livro com todos os ingredientes para nos deixar completamente vidrados.
As personagens também estão muito bem caracterizadas e como não podia deixar de ser, foi completamente impossível para mim não fazer comparações com o anterior livro “Solstício de Verão”. Para ser mais exacta, JC fez-me lembrar um pouco de Rossa, talvez devido ao seu amor proibido, Anya fez-me lembrar Ashling Morrison (apenas pelo forma como acaba por ser o lado inocente de toda a historia) e Orla, que apesar de ser uma só personagem, fez-me lembrar os gémeos Saphire e Indigo (devido a sua mente calculista e também às intrigas que foi tecendo ao longo da historia). Também fiquei muito satisfeita por ver a forma como a autora foi construindo a relação entre Anya e Fergal, fazendo com que o seu amor parecesse real e não apenas superficial ou apenas baseado na atracção. Não há dúvida que a autora pensa em tudo e aquele final acabou por ser quase inesperado, porque só quase no fim comecei a suspeitar do que realmente se passava. Espero continuar a ver os livros desta autora a serem publicados no nosso país, pois Tara Moore não é apenas uma autora fantástica, ela tem um dom que merece ser destacado e premiado. Este é um livro a não perder!

0 comentários:

Enviar um comentário