[SDE]Opinião "Jogos Perversos",de Shayla Black

Titulo: Jogos Perversos
Autor: Shayla Black


Ela não sabia o que queria até ao momento em que ele a fez implorar...
Morgan O’Malley já assistiu a muitas coisas perversas como apresentadora de um talk-show sobre sexo. Mas nunca tinha conhecido um homem como Jack Cole, um alfa dominante impossível de resistir, e alguém que Morgan quer ter ao seu lado quando um sociopata começa a persegui-la.
Embora Jack seja um guarda-costas, Morgan está longe de se sentir segura na sua presença. De modo lento e sedutor, ele começa a revelar as suas fantasias mais íntimas. E quando finalmente quebra a vontade de Morgan, ela fica chocada por descobrir o quanto está a apreciar o seu toque de mestre. Rapidamente se torna uma presa nos jogos perversos de Jack, mas mesmo sabendo que os seus motivos não são inocentes, nem ela faz ideia do que a espera…


Os romances eróticos estão na moda! Esta é uma frase muito popular no meio literário nos dias de hoje, mas encontrar um romance erótico de qualidade já não é uma tarefa muito fácil. Porquê? A razão é muito simples, a oferta está a tornar-se tão grande que todos já começam a parecer-se iguais uns aos outros…pior, a comparação é sempre feita com As Cinquenta Sombras de Grey, o que torna ainda mais difícil de selecção! É verdade que adorei a trilogia, mas confesso-me um pouco cansada com tanta comparação e tento imaginar quem não gostou dessa trilogia. Mesmo que fiquem com vontade de ler estes livros devido às sinopses, assim que vêm a comparação só pensarão em correr para bem longe.
Em relação a este livro, fiquei surpreendida pelo seu conteúdo. É verdade que a maior parte tem a ver com as descobertas sexuais da protagonista feminina, mas também tem uma aura de mistério excepcional e que nos deixa presos desde a primeira página. A isto se junta o facto da autora não é nenhuma novata nestas andanças, apesar de este ser o primeiro livro lançado no nosso país, ela já possui um currículo extenso e uma escrita muito versátil. O seu trabalho passa não só pelo erótico, mas também pelo contemporâneo, paranormal e histórico. Ela escreve também com o pseudónimo Shelley Bradley. Fiquei cativada pelo estilo de escrita da autora. Ela consegue, através de uma simples frase deixar o leitor ansioso por saber o que vai acontecer a seguir. A sua linguagem, apesar de muitas vezes ser um pouco crua (será problema com a tradução?), não é chocante e na comparação com o resultado final merece todo o mérito e destaque.
As cenas de BDSM são muito semelhantes com aquelas que já estamos habituados em outros livros do género, mas talvez devido à personalidade das personagens, tudo se torne um pouco diferente. A verdade é que desta vez não temos personagens com passados obscuros e que nos fazem, de certa forma, “desculpar” os seus comportamentos. Aquilo que é descrito passa-se entre pessoas perfeitamente normais e que fazem uma escolha consciente dos seus desejos e fantasias. É verdade que há sempre a componente de dominador/submissa e que à primeira vista tudo parece forçado ou até mesmo manipulado pelo dominador, mas eu vi algo mais que isso. Vi o desejo de Morgan em fazer aquelas coisas, em experimentar aquilo que tanto queria. É verdade que o tipo de BDSM apresentado é muito leve comparado com outros romances, mas este é sem dúvida aquele que mais aprecio ler. Quando Deke, o sócio de Jack, aparece na história e quando acabam os três na cama, tudo me pareceu muito natural devido à forma fantástica com que a autora nos foi descrevendo tudo o que se ia passando. Não houve pormenores sórdidos, nem cenas de nos fazer torcer o nariz, tudo foi apresentado de maneira a que o leitor se sentisse bem consigo próprio, o que fez com que a cena fosse realmente apreciada.
A acção do livro, apesar do curto espaço de tempo em que tudo se passa, também é descrita de forma clara, sem recorrer a saltos que deixariam o mais desatento dos leitores desorientado e a ideia de ter um romance erótico, com todo aquele suspense também acaba por cativar o leitor, pois a curiosidade de descobrir a identidade da pessoa que andava a assediar Morgan faz aumentar a vontade de ler mais e mais.
É por tudo isto que, na minha opinião, Shayla Black se consegue destacar num meio tão concorrido como o romance erótico. Está no meu TOP!

0 comentários:

Enviar um comentário