[Planeta]Opinião "Delírio",de Lauren DeStefano


Titulo: Delírio
Autor: Lauren DeStefano



Rhine e Gabriel fugiram da mansão, mas o perigo nunca ficou para trás.
Para Rhine de dezassete anos, a arriscada fuga do casamento polígamo parece ser o princípio do fim. A evasão leva Rhine e Gabriel a uma armadilha sob a forma de uma feira popular, cuja dona mantém várias raparigas prisioneiras, Rhine acaba de fugir de uma prisão dourada para se meter noutra ainda pior.
A jovem acaba por percorrer um cenário tão sombrio como o que deixou há um ano - que reflecte os seus sentimentos de medo, desespero e desesperança.
Com Gabriel a seu lado está decidida a chegar a Manhattan para se encontrarem com Rowan, o irmão gémeo, mas a viagem é longa e perigosa e o que Rhine espera que seja uma segurança relativa revelar-se-á muito diferente.
Num mundo onde as raparigas só vivem até aos vinte anos e os rapazes até aos vinte e cinco, o tempo é precioso e Rhine não tem como escapar nem iludir o excêntrico sogro Vaughn, que está determinado a levá-la de novo para a mansão... a todo o custo.
Nesta sequela de Raptada, a heroína tem de decidir se a liberdade vale a pena, pois tem mais a perder do que nunca.



Quando terminei a leitura do primeiro livro tinha-me apercebido de como a autora conseguia ser perfeita na sua história, mas finalizar o segundo volume e aperceber-me de que ela se consegue superar…disso não estava à espera.
O tema principal da história mantém-se e a centralização sobre a liberdade e a sua definição é cada vez mais exposta. Apesar disso, este livro conta-nos um lado mais obscuro da realidade, a realização de que não basta fugir, não basta escapar do mundo com o qual nos sentimos sufocados para solucionar o problema. A grande lição está na realização de que uma vez fugido, sempre fugido e por mais que a pessoa corra, por mais que fuja do seu passado, ele irá sempre encontra-la. Isto porque, mesmo usando um nome diferente, interagindo com pessoas diferentes, o medo e o terror estarão sempre ao virar da esquina.
Neste segundo volume, Rhine e Gabriel vêm-se presos num bordel, disfarçado de circo, onde à primeira vista todos se parecem divertir, vivendo de ilusões. Mas verdade, essa será cruel! Terá um gosto demasiado amargo e a solução será fugir novamente…mas com uma dificuldade adicional, a qual só irá ser compreendida quase no final! Rhine, que sempre me pareceu uma personagem forte e corajosa, irá novamente mostrar a sua garra e lutar por aquilo que acredita, enquanto que Gabriel parece-me um pouco desiludido com o que encontrou do outro lado dos muros que rodeavam a mansão de Linden. Sofri por ele devido às inúmeras vezes que esta personagem acaba espancada para salvar Rhine e pelas vezes que vai demonstrando aquilo que sente pela rapariga! Ao longo das páginas Gabriel mostra-se uma personagem sofredora, mas também corajosa, pois tudo faz para proteger quem ama da terrível verdade acerca do Governador Vaugh, que se mostra tão impiedoso e falso como no livro anterior. Ele é, com certeza, a personagem mais odiosa de toda a trilogia, pois ao contrário de algumas personagens ele sempre foi mau. Nunca uma sua atitude foi marcada por um acto de bondade ou até para proteger os seus, tudo o que faz é pela ciência, não se importando de magoar o seu próprio filho para conseguir atingir os seus fins mais obscuros. No final do livro, quer-me parecer que Linden toma um pouco de consciência para aquilo que o seu pai é na realidade, mesmo não deixando mostrar aquilo que pensa e indo contra o que foi dito por Rhine, mas penso que tenha sido uma atitude muito normal da sua parte. 
Estou ansiosa por conhecer o ultimo livro! Creio que muito ainda está por acontecer, principalmente agora que tudo parece perdido para Rhine. O aparecimento do seu irmão parece deixar entrar uma fresta de esperança por entre a cortina de terror que parece neste momento percorrer toda a vida da nossa protagonista e é por isso que fico ainda mais esperançada e até mesmo excitada pela ideia do que virá a seguir…

0 comentários:

Enviar um comentário