Á Procura de Indie #2




Quem é a Elizabete Cruz?
Elizabete Cruz nasceu a 18 de Junho de 1992 em Montreux, na Suíça. Estuda Radiologia na Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto, pelo que vive no Porto em tempo de aulas e em Viana do Castelo nas férias e ao fim de semana. Começou a escrever aos 16 anos, editando o seu primeiro romance, Espelho Indesejado, em 2010, pela HM Editora. Em 2012, pela Corpos Editora, editou o livro "O Homem que Amava Demais" e prepara-se para editar o seu terceiro livro "Face Negra", numa publicação independente.

Pelos caminhos da escrita:
Olá! O meu nome é Elizabete Cruz, tenho 20 anos e estou no 3º ano de Radiologia na Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto. Nasci na Suiça mas cresci em Viana do Castelo e actualmente passo a maior parte do tempo no Porto. Para ocupar os tempos livres gosto de escrever e desse hobbie já resultaram dois livros: Espelho Indesejado e O Homem Que Amava Demais. Na forja está um terceiro, Face Negra. É desses livros que vos venho falar.

Comecei a escrever mais a sério com 16 anos. Claro que na altura não era fácil pegar num tema a sério e escrever algo que realmente se revelasse interessante, por isso a preparação até à escrita do livro foi longa. Foram necessários muitos avanços, muitos recuos, muitas páginas riscadas e apagadas, muitas correcções, para chegar ao produto final. O Espelho Indesejado ficou pronto quando eu tinha 17 anos, quase 18, e claro que nessa altura eu não tinha qualquer noção do mundo editorial. Não sabia se devia mandar para muitas editoras ou para poucas, quais eram de confiança e quais não eram. Escolhi apenas uma, acreditando que nem seria muito boa nem muito má, apenas o suficiente para eu ser aceite, a HM Editora. Tive sorte, não só porque fui aceite mas porque me deram condições suficientes. Não paguei um único cêntimo pela edição e as coisas correram bastante bem, tanto com a editora como com o livro em si. Infelizmente, a editora abriu falência algum tempo depois.

Depois do sucesso com o Espelho Indesejado, pensei que seria idêntico com o O Homem que Amava Demais. Enganei-me redondamente! Enviei o livro para várias editora e como seria de esperar só as vannities mostraram interesse. Depois de algumas ponderações, que se revelaram erradas, escolhi a Corpos Editora para editar o meu livro. Para além de ter pago uma quantia avultada, tive ainda o trabalho de revisão e depois mais tarde de divulgação, porque a editora pouco se importou com isso. Praticaram uns preços completamente absurdos (se forem ver ao site da editora, ele está a 20€), as condições para os direitos de autor estavam feitas de modo a que o autor nunca recebesse o dinheiro (felizmente, eu consegui um acordo satisfatório em relação a isso e não fiquei com os bolsos vazios), nunca entraram em contacto comigo para informar fosse sobre o que fosse relacionado com o livro. O livro começou apenas a ser conhecido quando eu entrei para a blogosfera literária, porque senão seria apenas mais um livro esquecido no meio de milhares.

Foi esta má experiência que me levou a apostar na edição independente. Estou agora a escrever o “Face Negra” e estou decidida a editá-lo sozinha, sem nenhuma editora por trás, já que já provei a mim mesma no último livro que sou capaz de rever e divulgar o livro. Felizmente, tenho também várias pessoas que me estão a ajudar com a revisão e com a estética do livro. Para além disso, tenciono assim conseguir praticar preços muito mais baixos, pois sei que preços altos não aliciam ninguém. Espero ter o livro pronto em e-book em Junho e a partir daí começar a trabalhar no livro físico.

Durante estes anos e especialmente quando entrei para a blogosfera literária percebi a quantidade de podres que existe no mundo editorial em Portugal. Não há qualidade, não há critérios, desde que haja dinheiro para pagar qualquer pessoa edita. Quem sabe não ando também eu nesse role de pessoas que acha que sabe escrever e na realidade é uma farsa, porque também paguei para editar. Quem quer escrever não pode andar com os olhos fechados, pois o dinheiro sai-nos dos bolsos e nós ficamos exactamente no mesmo sítio em que estamos. O mundo editorial é muito concorrido e é muito difícil sobressair no meio de tantos, por isso depende de cada um ter ou não sucesso. Não aconselho a fazer impreterivelmente como eu, editar independentemente, pois sei que dá trabalho e nem todos têm a ajuda que eu tenho, mas aconselho a abrir bem os olhos e a não acreditar em tudo o que é dito. A HM Editora demorou 3 meses a responder ao meu e-mail e teceu comentários favoráveis à história; a Corpos Editora respondeu no dia seguinte e limitou-se a dar um preço. Qual é a conclusão que eu posso tirar daqui? Uma delas leu e ponderou sobre o que eu mandei, a outra limitou-se a responder ao meu e-mail. Tenham cuidado com as editoras, muitas delas querem saber mais das nossas carteiras do que de nós, e digo-o por experiência própria.           

E escrevam, escrevam muito se isso vos faz feliz. Se têm o sonho, vão atrás dele! Nada vos impede de o concretizar se não se deixarem enganar, nada vos pode tirar aquele gosto de ter o vosso livro na mão e nas mãos dos outros. Nada vos pode tirar aquele brilho de ver um desconhecido a ler o vosso livro, nem que depois ele diga que é uma porcaria. É algo que todos nós merecemos, e ninguém tem o direito de tirar isso de nós.
Elizabete

Livros Publicados:

Titulo: Face Negra
Autor: Elizabete Cruz

Sinopse: Esta podia ser a história de uma menina amorosa e inocente marcada pelo passado. Mas não, esta é a história de Daniela, a rapariga que sobreviveu a esse passado e se tornou naquilo que nunca pensaria ser, não olhando a meios para atingir os fins. Para tal conta com a ajuda do seu bizarro melhor amigo, que daria tudo para dormir com ela, e que é bem mais do que aparenta ser. E ainda tem Dyre, o seu primeiro amor e actual namorado, que definitivamente não a conhece.
Ela julgava-se forte, perspicaz e dona do seu destino. Mas o destino provar-lhe-á que estava errada. Alguém com tantos segredos, artimanhas, rancor e maldade dentro de si não poderá ter um final feliz. E o reaparecimento de um fantasma do seu passado levá-la-á a fazer algo extremo e irremediável, fazendo-a perceber que os fins nem sempre justificam os meios.
Conheçam Daniela, a jovem e inocente estudante de Medicina, que encerra em si uma terrível face negra.
“Um dia vais acordar, e não vais ter nada além de arrependimentos.”


Titulo: O Homem que Amava Demais
Autor: Elizabete Cruz
N. Páginas: 196
Editora: Corpos Editora

Sinopse: Quando Inês assiste à morte do namorado, Carlos, não imagina que a sua vida está prestes a mudar. Incumbida da missão de encontrar o pai dele, que ele nunca conhecera, a sua pesquisa leva-a até Pirenópolis, a uma comunidade hippie. Lá conhece Dean Silva, meio-irmão de Carlos, que por lá habita desde que a sua namorada, Abby, foi declarada como morta. Juntos partem então para a Califórnia, em busca do pai de Carlos, e o caminho leva-os a descobrir sentimentos que julgavam já nem sequer possuir. No entanto, o passado de Dean está à espreita, e Henry, seu irmão, não deixará que ele se desvaneça. Tudo porque ele quer construir algo que a ele próprio transcende, e que sabe que sem a ajuda do irmão não conseguirá: a bomba de hidrogénio. Para isso, Henry fará de tudo para transformar Dean, inclusive incluir Inês nos seus planos diabólicos, encarcerando-a com os génios que farão o seu plano seguir em frente. Com Dean a seu lado e um caminho traçado, Henry acredita que nada o poderá desviar do seu destino. Mas ele engana-se, pois estranhamente todos aqueles que estão consigo começam a morrer, um por um, num local onde ele sabe que só ele consegue entrar e sair. O medo de ser a próxima vítima instala-se, e Inês embrenha-se numa busca pela verdade, o que a leva a descobrir que tudo o que ela sabe sobre Dean e Henry não passa de uma grande mentira.
Afinal, porque morreu Abby? Porque sequestrou Henry oito pessoas? E quem é o culpado pelas suas estranhas mortes?(less)


Titulo: Espelho Indesejado
Autor: Elizabete Cruz
N. Páginas: 232
Editora: HM Editora

Sinopse: O labirinto da vida é um redemoinho de emoções em que se desenrolam muitas estórias. A de Jorge não escapa aos inelutáveis desígnios da existência. Sabe que errou: a juventude do corpo e do espírito, o excesso de álcool, acabam por fazê-lo sucumbir à doçura dos lábios de outra mulher, apesar do amor por Maria, sua namorada. Separados e negando a fatalidade inexpugnável do sentimento que ainda os alimenta, desenha-se-lhe no horizonte um novo e terrível desafio: vencer o cancro.
Mas não está só. Ao seu lado terá o seu revoltado irmão gémeo Rui e D. Madalena, sua mãe, desavindos entre si, onde só o amor por Jorge representa o ténue elo de ligação que une mãe e filho.
Um enredo brilhante, que leva o leitor pelos meandros das virtudes e mistérios humanos, interrogando-nos através dos segredos mais recônditos, do espelho indesejado, que descobrimos ao longo destas páginas…

0 comentários:

Enviar um comentário