[Porto Editora]Novidade "A Paixão de K",de Miguel Miranda


Título: A Paixão de K
Autor: Miguel Miranda
Págs: 184
Capa: Mole com badanas
PVP: 15,50 €


Romance, caos e memória no novo livro do escritor portuense
A 4 de fevereiro, chega às livrarias nacionais o mais recente livro de Miguel Miranda, A Paixão de K, uma história de paixões, de encontros atribulados numa Londres incendiada por distúrbios, e das memórias que se apoderam dos que vivem longe da sua terra-natal.
Num registo original, com humor e imaginação, Miguel Miranda leva- -nos numa viagem envolvente que, desta vez, nos afasta da cidade do Porto, um dos cenários de eleição do autor.
Miguel Miranda celebrou recentemente os seus 20 anos de carreira literária e viu publicados dois dos seus livros em França pelas Editions de l’Aube. Um deles, Dai-lhes Senhor, o Eterno Repouso (2011), foi publicado pela Porto Editora, assim como Todas as Cores do Vento (2012).


O LIVRO
Além de perito em arte, Perfecto Cuadrado é um habilidoso falsário, que viaja pelo mundo desenhando rostos anónimos no metropolitano e colecionando mulheres belas e sedutoras. É um homem experimentado na arte de seduzir e de amar. Nada faria prever que se apaixonasse de forma eruptiva por uma mulher misteriosa com quem se cruzou no metro de Londres – Josephine K.
Para Perfecto Cuadrado, a vida é uma sucessão de planos, sendo o presente um refluxo do passado, excetuando dois acontecimentos súbitos: os distúrbios que incendeiam a cidade de Londres e a paixão que arde dentro dele.
A Paixão de K. é uma viagem à insensatez de todas as paixões.


O AUTOR
Miguel Miranda é médico e autor de vários romances, livros de contos e livros infantis. Recebeu o Grande Prémio de Conto da APE pelo livro Contos à Moda do Porto (1996); o Prémio Caminho de Literatura Policial pelo livro O Estranho Caso do Cadáver Sorridente (1977); e o Prémio Fialho de Almeida pelo livro A Maldição do Louva-a-Deus (2001). Está traduzido em Itália e representado em diversas coletâneas. A Paixão de K é o seu oitavo romance, depois de Dai-lhes, Senhor, o Eterno Repouso e Todas as Cores do Vento, já publicados pela Porto Editora.


IMPRENSA
Sobre Todas as Cores do Vento:
Miguel Miranda cria descrições miméticas de estados de alma com poucas palavras e adjetivação equilibrada.
Expresso

Todas as Cores do Vento é um romance sobre as contradições do nosso tempo. Uma história para rir. E depois pensar.
JL

A principal virtude do autor está na forma como consegue tornar nítidas as situações e dilemas dos personagens aliando a fluidez narrativa à ironia numa prosa ágil que muitas vezes desemboca em momentos de pura hilaridade.
LER

Sobre Dai-lhes, Senhor, o Eterno Repouso:
Miguel Miranda oferece-nos um texto extraordinariamente hilariante, pleno de ironia e humor num acerto de mestre. Nada está a mais ou a menos na evocação dos lugares do Porto, na construção dos personagens, beliscando-lhes a alma, o carácter, o aspeto físico.
LER

Pela escrita de Miguel Miranda se revela que o escritor está apaixonado pelas pessoas.
José Manuel Mendes, escritor

0 comentários:

Enviar um comentário