[Clube do Autor]Novidade "O Amor é Outra Coisa",de Margarida Rebelo Pinto


O Amor é Outra Coisa chega às livrarias dia 15 de novembro

Poucos escritores portugueses alcançaram até hoje o sucesso de Margarida Rebelo Pinto: mais de 1.200.000 livros vendidos e 15 títulos com entrada direta para o top dos livros mais vendidos em Portugal.
No momento em que lança o 10º romance, lembramos o seu sólido percurso literário. Em 15 anos a autora conquistou centenas de milhares de leitores fiéis a um registo inconfundível assente em histórias realistas que refletem sobre os sentimentos humanos e espelham emoções partilhadas por muitos. A sua obra está também publicada em Espanha, França, Itália, Alemanha, Bélgica, Holanda e Brasil.
Editores, paginadores, revisores e designers trabalharam nos últimos meses neste novo livro de Margarida Rebelo Pinto, uma edição especial, em capa dura, revestida parcialmente em tecido.
O novo romance marca o regresso da autora ao registo intimista iniciado com o Diário da tua Ausência e continuado com O Dia em que te Esqueci, a sua série de maior sucesso.

“Aprendi muito sobre mim e sobre os outros enquanto escrevia este livro. Com ele percebi que, apesar de não estar nas nossas mãos mudarmos a natureza das pessoas, o mais importante é não desistir daquilo em que acreditamos.”

O Amor é Outra Coisa será apresentado pela jornalista Fernanda Freitas na Biblioteca da Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa, no próximo dia 20 de novembro, às 19h00.

[Civilização]Novidade "DarkMarket",de Michelle Hapetien


Título: DarkMarket – Como os Hackers Se Tornaram a Nova Máfia
Autor: Misha Glenny
Tradução: Michelle Hapetien
Páginas: 344.
PVP: 13,99 €
Lançamento: Outubro de 2012


Sinopse: Parte das nossas vidas é vivida online – o banco, as compras, o trabalho, os encontros amorosos –, mas será que nos tornámos complacentes? Partilhamos a informação pessoal, os nossos pensamentos e movimentos com um ecrã sem rosto, sem ter qualquer ideia do que se encontra para lá dele.
DarkMarket mostra a verdade chocante sobre o que se esconde por trás do computador: uma rede criminosa secreta que invade a nossa privacidade e ameaça a nossa segurança diariamente. Glenny acompanha o percurso dos principais protagonistas – os criminosos, os especialistas em segurança internacional, a polícia, os viciados em crack, a família real saudita e, sobretudo, as vítimas – revelando a escala real desta nova ameaça global.
O resultado é um livro que não vai conseguir parar de ler. DarkMarket é um livro absorvente que apresenta uma investigação exemplar. Obrigatório para qualquer pessoa que utilize um computador: o livro essencial para qualquer pessoa que queira compreender o mundo em que vivemos.


Autor: Misha Glenny é um reputado jornalista e historiador. Como correspondente da Europa Central para The Guardian e para a BBC, acompanhou o colapso do Comunismo e as guerras na ex-Jugoslávia. Ganhou vários prémios importantes, como o Sony Gold Award, pela sua contribuição notável para os meios de comunicação. Autor de três livros sobre a Europa de Leste e os Balcãs, é consultor político regular do governo dos EUA e de alguns países europeus e esteve durante três anos à frente de uma ONG, ajudando na reconstrução da Sérvia, da Macedónia e do Kosovo. Vive em Londres.
Mais informações em http://www.darkmarketinsider.com

[Palavras Minhas]Tempo de mudança


O mundo avança a um ritmo alucinante. Se ontem pensávamos em preto, hoje pensamos em branco. Nada dura muito tempo nesta sociedade consumidora e isso podemos ver através dos gostos literários de cada um. Apesar dos gostos de irem mantendo, eles vão-se também transformando em algo muto diferente e isso pode ser observado através da quantidade de géneros literários que encontramos no mercado, que são cada vez mais extensos. As tendências vão mudando as nossas vidas. Já alguém se apercebeu da quantidade de livros eróticos que andam por aí? Ainda no outro dia podíamos ver as estantes carregadas de livros acerca de vampiros e demónios, entretanto vieram os romances sensuais e de repente é a correria aos livros eróticos.
Poderíamos culpar EL James com a sua trilogia das “Cinquenta Sombras de Grey”, uma simples fanfic de Crepúsculo que de repente se tornou num sucesso mundial e que levou a que aparecessem mais livros dentro do mesmo género pelo mundo fora, mas a verdade é que mesmo antes de esta historia ser descoberta, muitas outras já se encontravam já em inúmeras gavetas, à espera que alguém tivesse coragem de as apresentar a alguma editora.
E agora vamos ao problema principal, é que depois de lermos os livros da senhora James temos a tendência para comparar todos os outros que vão aparecendo com a obra antes referida e por isso me pergunto, o que virá a seguir? Às vezes até tenho medo de pensar nisso, não é que não aprecie o género, não vou ser cínica ao ponto de negar que também eu fui afectada com esta tremenda febre, mas a verdade é que me assusta um pouco quando me surge esse pensamento. Será que a nossa imaginação fica por aqui? Será que algo novo não irá aparecer em breve? Eu acredito que sim, só não consigo pensar qual será o próximo assunto “mais in” do momento.
É engraçado fazer este tipo de observação, principalmente quando não somos muito amantes de clássicos, mas tentem imaginar como se sentiriam Fernando Pessoa, Camilo Castelo Branco e Eça de Queiroz caso fossem vivos. Acho que talvez, neste momento, se estejam a revolver nas suas campas. Enfim, é a mudança dos tempos e também nós temos de avançando com ele. É esperar para ver…


by Ana Luísa Neves

[Porto Editora]Novidade "Refeições em 15 Minutos",de Jamie Oliver


Título: Refeições em 15 Minutos
Autor: Jamie Oliver
Tradutor: Rita Figueiredo
Págs: 288
PVP: 24,50 €
Encadernação: Cartonado com sobrecapa


Refeições em 15 Minutos é a melhor solução para todas as ocasiões
O primeiro livro de Jamie Oliver na Porto Editora promete solucionar muitos problemas na cozinha do dia a dia: Refeições em 15 Minutos, que chega às livrarias no dia 8 de novembro, é uma ajuda preciosa para quem quer cozinhar refeições simultaneamente rápidas, deliciosas e nutritivas.
Refeições em 15 Minutos é um livro completo, com opções de peixe, diferentes tipos de carne, comida vegetariana, sopas e massas, e revela várias dicas sobre como cozinhar de forma rápida e eficiente.
Jamie Oliver é um dos mais conhecidos chefs a nível mundial, participa em várias revistas, jornais e programas de televisão dentro e fora do Reino Unido e é dono de cinco restaurantes de referência. Também na ação social Jamie Oliver se tem vindo a destacar, conduzindo campanhas que vão desde o combate à obesidade infantil até à formação de jovens desempregados.


O LIVRO
«Este livro vai ao encontro do que os leitores me têm pedido – refeições ultrarrápidas, saborosas e nutritivas para o dia a dia.
A criação destas receitas foi toda uma nova experiência para mim; procurei que fossem metódicas, criativas, informais e divertidas, com ingredientes magníficos – uma explosão de sabores para os seus cozinhados!
Provavelmente não tornarei a escrever um livro de cozinha como este, mas asseguro-lhe que ficará com um livro de referência, que lhe dará as ferramentas necessárias para poder criar refeições fantásticas e extremamente rápidas.
Fui buscar inspiração à cozinha dos quatro cantos do mundo, introduzindo sabores de que todos nós gostamos nos pratos clássicos de frango, carne, e massa; apoiando-me na colorida comida asiática vendida na rua e nos flamantes sabores da comida marroquina; dando importância às saladas e tantos outros acompanhamentos. Com este livro, tentei apresentar uma multiplicidade de cozinhas que estão a conquistar cada vez mais entusiastas. Estas foram as refeições mais rápidas e fáceis que fiz até hoje.»


O AUTOR
Jamie Oliver começou a cozinhar no pub dos pais – The Criketers – em Clavering, no Essex, aos oito anos. Após deixar os estudos, iniciou a sua carreira profissional como Chef, tendo sido descoberto por uma produtora de televisão quando trabalhava no River Café.
A sua carreira na televisão e no mundo editorial teve início em 1999 com a série Naked Chef. A partir de então, abriu o primeiro restaurante do projeto Fifteen, em Londres, revolucionou as ementas das cantinas escolares do Reino Unido, assim como a forma de cozinhar em casa.
Com uma forte consciência social, propõe-se melhorar ativamente a vida das pessoas através da culinária, tendo para isso criado a rede de restaurantes Fifteen – onde forma jovens desempregados para que possam seguir uma carreira profissional no ramo da hotelaria –, os centros Ministry of Food – onde qualquer pessoa pode aprender as técnicas básicas da culinária –, a Home Cooking Skills – um curso vocacionado para as escolas secundárias – e o Kitchen Garden Project, um novo programa educativo sobre alimentação destinado aos alunos do ensino básico.
Entre os muitos sucessos da sua carreira contam-se ainda a criação da rede de restaurantes Jamie’s Italian e Union Jacks, e a comercialização de produtos alimentares e de acessórios de cozinha.
Jamie escreve para publicações na Grã-Bretanha e para todo o mundo, incluindo a sua própria revista Jamie Magazine. O seu livro Jamie’s 30 Minute Meals foi o livro de não ficção que mais vendeu no Reino Unido, tendo alcançado os tops de vendas em tempo record. Jamie vive com a mulher, Jools, e os filhos, dividindo-se entre Londres e o Essex.

[Oficina do Livro]Novidade "Os Que Vieram de África",de Rita Garcia


Titulo: Os Que Vieram de África
Autor: Rita Garcia
N. Páginas: 272
PVP: 14,90€


Chegou às livrarias o livro Os Que Vieram de África, da jornalista Rita Garcia, autora de S.O.S. Angola – Os Dias da Ponte Aérea, publicado o ano passado pela Oficina do Livro. Os Que Vieram de África é um livro de investigação empolgante e minucioso que reconstitui o regresso, nos anos 70, de meio milhão de portugueses das ex-colónias, um dos episódios mais conturbados do nosso passado recente.




Sinopse: Cerca de quinhentas mil pessoas chegaram a Portugal com a independência das colónias africanas. Para elas, acabava dessa forma abrupta uma vida próspera construída no ultramar e começava um futuro incerto numa sociedade que desconheciam e que chegava a revelar-se hostil à sua presença. Se os que vinham de África preferiam lá ter ficado, os que cá estavam receberam-nos com desconfiança. Nos primeiros tempos os colonos passaram fome e frio, enfrentaram o desemprego e viveram amontoados em quartos ou casas degradadas. Alguns preferiram emigrar a sujeitar-se à discriminação e à falta de perspectivas; outros encontraram no suicídio a única saída. Os Que Vieram de África é um livro de investigação empolgante e minucioso, que reconstitui tempos conturbados do nosso passado recente. Traçando o retrato de um pequeno país a braços com uma tarefa colossal, revela histórias comoventes de sobrevivência protagonizadas por homens e mulheres atirados para um lugar distante chamado Portugal - um lugar radicalmente diferente da terra que amavam e que o curso dos acontecimentos lhes retirou.


Autor: Rita Garcia nasceu em Lisboa em Julho de 1979. Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa, trabalhou na Focus e, como freelancer, colaborou com publicações como o «DNa», «Notícias Magazine» e Pais & Filhos. É repórter da Sábado desde 2005. Recebeu o 2º prémio Henrique de Barros, atribuído pelo Parlamento Europeu em 2003, e o Prémio de Jornalismo Novartis Oncology em 2008. É co-autora do livro INEM 25 Anos. Em 2011 publicou, na Oficina do Livro, S.O.S. Angola – Os Dias da Ponte Aérea.

[Porto Editora]Nataša Dragnić em Lisboa e no Porto na próxima semana‏

Escritora croata vem a Portugal apresentar romance vendido para 25 países
O romance "Cada dia, cada hora", de Nataša Dragnić, é apresentado em Lisboa e no Porto na próxima semana. Esta professora e atriz, que vive e ensina literatura na Alemanha, conseguiu uma estreia fulgurante e surpreendente: editado em 2011, Cada dia, cada hora foi rapidamente vendido para 25 países.
Segundo o jornal Berliner Morgenpost, esta autora constitui «um verdadeiro achado literário». O Goethe-Institut terá a mesma opinião e, nesse sentido, convidou-a a visitar o nosso país, para apresentar o romance. A ligação ao referido instituto existe porque Nataša Dragnić é especialista em Filologia Alemã e vive na cidade germânica de Erlangen.
Em Lisboa, a sessão decorre nas instalações do Goethe-Institut, a 6 de novembro, pelas 19:00, e a apresentação é do jornalista Tito Couto. No Porto, o evento acontece a 8 de novembro, às 22:00, no bar Labirintho. Apresenta o livro o germanista Gonçalo Villas-Boas.

[Porto Editora]Romances marcantes de Francisco José Viegas com nova edição‏


Romances marcantes de Francisco José Viegas com nova edição
Lourenço Marques e Um Crime Capital regressam hoje às livrarias
Chegam hoje, dia 29 de outubro, às livrarias duas das mais marcantes obras de Francisco José Viegas, Lourenço Marques e Um Crime Capital, numa edição Porto Editora. A antiga cidade de Lourenço Marques e a cidade do Porto são cenários de eleição para o autor e servem de pano de fundo para a trama intensa dos dois romances.
Aclamado pela crítica nacional e internacional, Francisco José Viegas tem a sua obra publicada no Brasil, França, Itália, Alemanha e República Checa. A Porto Editora publicará o seu próximo romance, O Colecionador de Erva, no início de 2013.


Título: Lourenço Marques
Autor: Francisco José Viegas
Págs: 208
PVP: 15,50 €

Sinopse: Esta é a história de um homem que sonhava com Lourenço Marques. Não com a Lourenço Marques colonial e militar – apenas com «a cidade das acácias, a pérola do Índico», a cidade onde amou pela primeira vez. Vinte e sete anos depois de ter saído de Moçambique, ele regressa para procurar uma mulher, Maria de Lurdes (aliás Sara): de Maputo a Pemba e a Nampula, da Ilha de Moçambique ao Lago Niassa, essa busca transforma-se num discurso iniciático sobre a nostalgia de África, o encontro com Deus, a felicidade, a aceitação, o arrependimento, o amor que se perde e a vida que não se viveu. Ao longo dessa viagem encontra Domingos Assor, um polícia que investiga o assassinato de Gustavo Madane, um ex-combatente nacionalista caído em desgraça – e que tem visões, durante as quais pensa ser um «rabino negro e perguntador», que confunde o monte sagrado dos macuas, o Namuli, com o Sinai do deserto egípcio. Ouve as palavras do xehe da mesquita da Ilha de Moçambique, que lhe recita, de trás para a frente, os versículos do Corão. É tratado pelo último médico branco de Lichinga, no Niassa, que ali aguarda a chegada da morte depois de ter sido abandonado pela mulher e de saber que tem cancro. E recorda a Lourenço Marques dos anos setenta como a metáfora dessa vida interrompida pela guerra e pela felicidade dos outros.
Uma história inquietante e perturbadora sobre a memória portuguesa de África, longe da guerra e dos complexos de culpa coloniais.

Título: Um Crime Capital
Autor: Francisco José Viegas
Págs: 200
PVP: 15,50 €

Sinopse: No fantástico cenário do auditório ao ar livre da Fundação de Serralves, na cidade do Porto, um homem e uma mulher são encontrados mortos depois de um concerto da Capital Europeia da Cultura de 2001. Jaime Ramos, investigador da Polícia Judiciária e personagem de vários livros do autor, regressa então às páginas de um romance para se ocupar do caso, que no dia seguinte tem novo desenvolvimento dramático – a morte de Illan Levan, um judeu brasileiro técnico de informática, encontrado baleado numa tranquila rua dos subúrbios. Quatro dias depois, outro cadáver, desta vez no cenário romântico do Cais das Pedras. No meio destes crimes aparece entretanto um advogado do Rio de Janeiro, Mandrake, curiosamente o mesmo nome da personagem do escritor brasileiro Rubem Fonseca, de quem «parece» um clone. Um Crime Capital é um divertimento que não deixa de tocar o mundo temático dos anteriores livros do autor: a proximidade da morte, o difícil e perigoso universo das paixões, a ilusão do poder.
Cruzamento de realidade com delírio, de ficção com não ficção, de uma escrita poética e emocional com a maior frieza do género policial, Crime Capital é também uma homenagem à cidade do Porto.


O AUTOR
Francisco José Viegas nasceu em 1962. Professor, jornalista e editor, foi também diretor das revistas Ler e Grande Reportagem – e da Casa Fernando Pessoa. Colaborou em vários jornais e revistas, e foi autor de vários programas na rádio (Antena Um) e televisão (Livro Aberto, Escrita em Dia, Ler para Crer, Primeira Página, Avenida Brasil, Prazeres, Um Café no Majestic, Nada de Cultura). Da sua obra destacam-se livros de poesia (Metade da Vida, O Puro e o Impuro, Se Me Comovesse o Amor) e os romances Regresso por um Rio, Morte no Estádio, As Duas Águas do Mar, Um Céu Demasiado Azul, Um Crime na Exposição, Lourenço Marques, Crime Capital, Longe de Manaus (que obteve o Grande Prémio de Romance e Novela, de 2005, da Associação Portuguesa de Escritores) e O Mar em Casablanca.


IMPRENSA
Uma língua tecida de ilhas e de céus, uma escrita solitária: um autor.
La Croix

O talento visionário de Viegas, capaz de páginas memoráveis e retratos poéticos que nos deixam de boca aberta, evoca também o melhor de Wim Wenders.
L’Unità

Cenário chuvoso e lento, quase metafísico. Uma grande parte do seu detetive é Álvaro de Campos.
La Repubblica

[5 Sentidos]Opinião "Rendida",de Sylvia Day


Sylvia Day




















Sinopse: Gideon Cross apareceu na minha vida como uma luz na escuridão.
Um homem lindo, fascinante, um pouco louco e muito sedutor.
A atração que sentia por ele era diferente de tudo o que tinha experimentado na minha vida até então. Eu desejava-o como a uma droga que me enfraquecia dia após dia.
Gideon encontrou-me fragilizada e carente e entrou facilmente na minha vida.
Descobri que também ele tinha os seus próprios demónios. Tornámo-nos o espelho um do outro; éramos o reflexo das nossas mais profundas cicatrizes e...desejos.
Este amor transformou-me, mesmo que ainda hoje continue a rezar para que os pesadelos do passado não voltem para nos atormentar.


Opinião: Confesso que comecei a leitura deste livro com o pensamento que esta seria uma cópia do tão afamado livro de EL James “As Cinquenta Sombras de Grey”, as opiniões que já tinha lido acerca dele apontavam para essa ideia, mas o que fui encontrar foi algo que me deixou completamente fascinada. Claro que não posso deixar de dizer que muitas são as semelhanças, pequenas cenas que em tudo nos faz lembrar o referido livro, mas depois de alguns capítulos começamos a ver a história a tornar-se muito mais intensa, com um enredo próprio e a distanciar-se cada vez mais do esperado. Se já tinha gostado a trilogia de James, fiquei a adorar este livro de Sylvia Day e não foi só pela história. Day tem uma forma de escrever muito mais arrebatadora e intensa, faz-nos desejar virar a página e descobrir aquilo que se vai passar a seguir.

Em relação aos personagens posso dizer que se já estava apaixonada por Christian Grey de James, acabei completamente obcecada por Gideon Cross de Day. Não só a personagem é melhor desenvolvida, como também apresenta um lado muito mais terno e sentimental logo no início. Apesar de tentar esconder a todo custo o seu passado, ele mostra-se capaz de tudo para que a sua relação com Eva funcione. O seu amor é um pouco obsessivo e controlador, mas ele parece-me também preparado para saber dar o braço a torcer quando necessário. No início mostra-se alguém arrogante, controlador e capaz de tirar qualquer pessoa do sério, mas ao longo da história vamo-nos apercebendo que há algo mais nele. O passado dele ainda é um pouco sombrio e ainda não me consegui aperceber ao certo o que o atormenta, mas acredito que em breve irei descobrir e ficar surpreendida. Apesar de termos pequenas pistas ao longo do livro, parece-me que irá ser algo muito mais trabalhado do que aquilo que estamos à espera. Em relação a Eva, apesar de ser uma jovem de apenas 24 anos, ela apresenta-se muito madura e também com os seus demónios internos. Desenganem-se aqueles que pensam ver uma personagem apagada ou mimada com pensamentos estranhos com o seu subconsciente. Ela é uma lutadora e que já passou bastante na sua curta vida. Ela teve de lutar contra o seu passado para poder viver a sua própria vida, ou seja, é o oposto daquilo que estamos à espera e muitas das vezes vemos a forma como ela se impõe perante Gideon. Claro que nem tudo será maravilhoso entre os dois, eles são dois indivíduos com experiências complicadas na infância e que têm de aprender a viver um com outro, algo que parece ser bastante difícil, mas ambos parecem-me com vontade de o fazer. Achei comovente a forma como Gideon transpôs o quarto de Eva para a sua casa, para que num momento de aflição ela pudesse fugir para o seu canto, mas mesmo assim ainda estar próxima dele.

Este livro está carregado de emoções, às vezes um pouco complicadas, erradas e até mesmo distorcidas, mas que acabam por em algumas vezes retractar a vida real de algumas pessoas. O tema central acaba por ser, na minha opinião, o abuso infantil, o que talvez para muitos acabará por ser chocante a forma como isso pode marcar um ser humano. Através deste romance intenso, Sylvia Day vem-nos mostrar um pouco dessa realidade e também fazer-nos desejar que chegue o segundo volume desta trilogia. Achei brilhante a forma como terminou este livro, deixando-nos adivinhar já alguns problemas futuros na vida do casal e ansiando por saber como os irão resolver.

[Palavras Minhas]Apenas sonhar...


Hoje acordei com vontade de te ver, de te tocar…Hoje é daqueles dias em que a única coisa que posso fazer é sonhar! Queria poder olhar nos teus olhos e beijar os teus lábios, sentir aquele carinho que só tu sabes dar…Queria, queria muita coisa que neste momento não posso ter!
Será que querias o mesmo? Será que sonhas em chegar a casa e ter-me à tua espera? Em poder sentir o meu calor de cada dia que chegas a casa cansado do trabalho? Sabes, eu sonho com isso, é o meu sonho secreto que um dia espero contar-te, que um dia espero podermos realizar, mas por agora só sei que nada sei, apenas posso imaginar, apenas posso sonhar…Pelo menos isso, ninguém me pode tirar!

by Ana Luisa Neves 




[Quinta Essencia]Opinião "Jardim de Alfazema",de Jude Deveraux


Jude Deveraux




















Sinopse: Jocelyne Minton é uma mulher dividida entre dois mundos. A mãe estudou em colégios particulares e frequentava as melhores salas de chá, mas acabou por casar com o biscateiro local.
Joce tinha apenas cinco anos quando a mãe morreu e, quando o pai volta a casar, a criança sente-se mais só do que nunca - até que conhece Edilean Harcourt que, apesar de já não ser uma jovem, compreende Joce melhor que ninguém.
Quando Miss Edi morre, deixa à amiga todos os seus bens, incluindo uma histórica mansão do século XVIII e uma carta com pistas para a jovem decifrar um mistério que remonta a 1941. Na carta, Miss Edi também revela que encontrou o homem perfeito para Joce, um jovem advogado. Joce fica chocada ao saber que a mansão e o futuro amor da sua vida se encontram em Edilean, de que nunca ouvira falar. Curiosa perante esta reviravolta do destino, Joce muda-se para a pequena cidade , decidida a dar um novo rumo à sua vida.
Em Edilean, todos conhecem a história da jovem e já delinearam o seu futuro, incluindo o homem com quem se deverá casar. Acontece, porém, que Joce tem as suas próprias ideias acerca do homem que terá de conquistar o seu coração e o que fazer aos segredos que ninguém quer ver divulgados. Mas, quando estes lhe revelam parte da sua história, o certo é que a vida parece ganhar uma nova cor…
Em Jardim de Alfazema, Jude Deveraux retrata as paixões, as intrigas e os segredos de uma pequena cidade e dá início a uma extraordinária série centrada em Edilean.


Opinião: Esta foi uma leitura realizada com um pouco de atraso. Já tinha lido o livro “Desejos do Coração”, que foi o último título que saiu e fiquei com bastante curiosidade acerca dos livros anteriores. Infelizmente, demorei um pouco até conseguir reunir todos. Como o tempo foi passando e outras leituras foram sendo feitas, fui também esquecendo pormenores importantes que acabariam por ser considerados spoilers deste mesmo livro e que por isso fiquei contente por esquecer. Quem não deve ter ficado contente por esse esquecimento foi a minha amiga Vivana, que ia dando em doida com todas as perguntas que eu ia fazendo…
E agora voltando ao tema principal, a opinião deste livro, posso dizer que voltei a apaixonar-me por esta serie. A obra é completamente deliciosa e os momentos de humor vão sendo propagados a quase todas as páginas. É um romance simples e apesar de todos os segredos e mistérios envolvendo as personagens, a sua leitura é feita de uma forma fluída e sem grandes complicações de enredo. Apesar de tudo, acabei por perceber bastante cedo um dos maiores segredos de Edilian Harcourt, algo que não veio estragar o prazer de leitura.
Adorei conhecer os primos Sara, Luke e Ramsey e também Tess, que para além da sua personalidade forte acaba por mostrar o seu lado mais simpático ao ajudar Joce no catering de algumas festas, juntamente com o pai de Luke. Adorei o Luke, achei que era uma personagem mesmo muito engraçada e juntando o seu humor ao de Joce acabaram por se tornar um complemento um do outro.
Estou ansiosa por ler o próximo livro intitulado “Dias de Ouro” que irá contar a história de Angus McTern e Edilian Talbot e que irá decorrer no ano de 1766. 

[Bertrand Livreiros]Sessão de autógrafos Miguel Real‏


No dia 28 de outubro, domingo, às 18h00, decorrerá sessão de autógrafos com Miguel Real, autor de «O Feitiço da Índia» (Dom Quixote, 2012), na Bertrand do Forum Sintra.

O Feitiço da Índia narra a história de três homens:
José Martins, o primeiro português a tocar solo indiano, ido como degredado na armada de Vasco da Gama. Casado em Alfama com a moura Rosa, apaixonou-se por Rhema em Cochim, casou-se de novo e morreu em Goa, enfeitiçado pela Índia;
Augusto Martins, o único português (não luso-indiano) a permanecer em território de Goa após a invasão das tropas da União Indiana em 18 de Dezembro de 1961. Casado em Lisboa com a mulher-a-dias Rosa, apaixonou-se em Salcete pela menina Rhema, filha de um brâmane, gerando Sumitha, morrendo em Goa enfeitiçado pela Índia;
A história do narrador, descendente de José Martins e filho de Augusto Martins, que, em 1975, após o reatamento das relações entre Portugal e a União Indiana, partiu para Goa à procura do pai e ali permaneceu até hoje, vivendo com Rhema e Sumitha, enfeitiçado pela Índia.
Através da experiência destas personagens inesquecíveis - e com a ironia e a qualidade a que Miguel Real nos habituou -, O Feitiço da Índia oferece-nos o retrato fascinante de Goa e da costa do Malabar, na Índia, em três épocas marcantes da sua história.

[TOPSELLER]Uma nova editora, arrojada, que quer agitar o mercado em tempos de crise‏




Uma editora arrojada, com garra, e com os melhores autores mundiais
Se é bestseller, é TOPSELLER

É no dia 1 de novembro que a Topseller se vai dar a conhecer ao leitores portugueses. Uma nova editora, arrojada, que arranca com toda a garra.
James Patterson e Janet Evanovich. É com estes dois nomes de peso e de referência da ficção  - figuram no “top 5” de autores mais bem sucedidos em todo o mundo (fonte: Forbes ), que a Topseller revela a sua ambição: construir um catálogo onde figurem os mais populares autores – portugueses e estrangeiros - de ficção para adultos e jovens adultos. 
James Patterson já vendeu mais de 250 milhões de livros em todo o mundo, o que faz dele detentor do recorde absoluto de vendas e de top’s do New York Times. Mas era um autor praticamente desconhecido em Portugal até agora. Janet Evanovich é a autora de policiais mais vendida em todo em mundo e a escritora mais bem sucedida atualmente (fonte: Forbes), com mais de 75 milhões de livros vendidos. E no entanto estava inédita até agora em Portugal.
A Topseller, fruto do empenho de toda a sua equipa, tem como ambição tornar James Patterson e Janet Evanovich  autores que superem igualmente recordes em Portugal. Para tal, apoiados por uma forte e original campanha de marketing, a editora irá editar mais sete títulos de James Patterson em 2013 (adulto, jovem adulto e juvenil) e três de Janet Evanovich.

«Crise? Somos irrequietos. Crise para nós era ficarmos parados.»
– Manuel de Freitas, diretor-geral da 20|20 Editora

A Topseller nasce no seio da 20I20 Editora, a mais  jovem e dinâmica do Top 10 nacional, cujo crescimento desde a sua fundação há três anos demonstra bem a qualidade do seu catálogo. Mais do que a promoção da marca, a aposta passou até agora pela edição de livros de qualidade para o grande público, trabalhados e acarinhados por profissionais reconhecidos.
Esta missão já existia nas outras três chancelas da 20|20 Editora: Booksmile, Nascente e Vogais.

A Booksmile edita livros infantojuvenis e álbuns ilustrados, contando no seu catálogo com a série infantojuvenil mais vendida em Portugal: O Diário de um Banana. Aliás, é com muito orgulho que, no conjunto das chancelas, a 20|20 Editora conta com três dos cinco autores mais bem sucedidos em todo o mundo. Além de Patterson e Evanovich, Jeff Kinney, autor d’O Diário de um Banana está presente no Top 5 da Forbes.

A Nascente edita livros de autoajuda e espiritualidades, uma área que tem crescido nos últimos anos, enquanto a Vogais edita livros de não-ficção e temas atuais.

«Sabemos que o mercado acredita na qualidade do nosso trabalho e sentimo-nos preparados para entrar, com a Topseller, num segmento onde ainda não estávamos presentes: a ficção para adultos. Acreditamos que, com a nossa experiência e capacidade de inovação, saberemos dar a volta à crise e oferecer ao público os melhores livros, com a melhor relação qualidade/preço e sem qualquer risco. Somos a única editora a oferecer por escrito uma garantia incondicional de satisfação e qualidade. ‘Satisfeito ou reembolsado’ é uma proposta muito forte nesta altura em que qualquer compra é muito bem ponderada pelo consumidor.»
«A crise afeta-nos como afeta o mercado em geral. Em vez de crescermos 50% ao ano, só estamos a crescer 40%. Mas depende apenas de nós sabermos adaptar-nos às circunstâncias do mercado. Sem medo. Em três anos passámos por duas falências de distribuidoras. As nossas opções eram desistir ou então crescer para ter uma dimensão que nos permitisse ter distribuição própria. Fomos pela segunda opção. Outras editoras não o conseguiram.»
- Manuel de Freitas, fundador e diretor-geral da 20|20 Editora


  


Lançamentos TOPSELLER

1 de Novembro – James Patterson (www.jamespatterson.com)
Alex Cross: Primeiro de uma coleção com 18 volumes já publicados, com o detetive mais admirado dos policiais dos tempos modernos. O livro terá campanha cruzada com a  Zon Lusomundo que estreia, a 15 de novembro,  o filme Eu, Alex Cross, com Matthew Fox (série Perdidos) e Tyler Perry.
Maximum Ride 1: O Resgate de Angel: Primeiro de uma coleção com oito volumes, para jovens leitores. Mais 
um bestseller de James Patterson que permaneceu semanas no top do New York Times. 

15 de Novembro – Janet Evanovich (www.evanovich.com)
Perseguição Escaldante: Um policial divertido e autêntico, que vai arrancar muitas e muitas gargalhadas. É um novo estilo de policial, repleto de personagens únicas e inesquecíveis, que em muitos países já criou uma legião de fãs.

[Porto Editora]Novidade "Escola de Magia",de João Miranda


Título: Escola de Magia
Autor: João Miranda
Págs.: 184
Capa: integral
PVP: 15,00 €


Bem-vindos à Escola de Magia
Livro de João Miranda é o único com fotos dos vários passos de cada truque
A 5 de novembro, chega às livrarias portuguesas uma obra de ilusionismo com uma abordagem inovadora, a única que, através de fotografias, ensina truques passo a passo. O autor é João Miranda, fundador da Escola de Magia do Porto, e o livro intitula-se, como não podia deixar de ser, Escola de Magia.
Ao criar esta obra, integralmente colorida e repleta de fotografias produzidas exclusivamente para o efeito, o autor teve a intenção de divulgar o ilusionismo «como forma de arte», usando objetos simples «que toda a gente tem em casa». Os truques estão divididos por três graus de dificuldade, mas o livro traz outras informações importantes, como a história da Magia e dicas prévias para o sucesso. O aspirante a mágico deve, entre outros aspetos, saber guardar segredo dos truques, treinar muito e comunicar bem.


SINOPSE
Se gostava de aprender fantásticos truques de magia para surpreender tudo e todos, este livro é para si. De forma clara e simples, o mágico João Miranda irá ensinar-lhe, passo a passo e por diferentes níveis de dificuldade, ilusões com objetos que encontra em sua casa. Fazer aparecer dinheiro, levitar uma carta, transformar água em sumo ou rasgar e reconstituir um jornal são alguns dos truques de magia que irá aprender.
Acesso a conteúdos exclusivos: www.portoeditora.pt/escolademagia


O AUTOR
João Miranda nasceu no Porto, em 1986. Aos seis anos de idade deixou-se seduzir por uma caixa de magia, e contrariamente à grande maioria dos outros meninos, facilmente trocou o futebol por um baralho de cartas, sem nunca deixar para trás os estudos.
Sem quaisquer antecedentes familiares no mundo da magia, tornou-se um autodidata e com apenas catorze anos fazia a primeira atuação em público, num pequeno auditório, tendo na assistência os trabalhadores de uma empresa local.
Licenciado em Comércio Internacional, conjuga na perfeição as duas atividades, aliando a prática profissional da magia ao facto de também ser proprietário de uma empresa exportadora de artigos de magia para todo mundo, a OPORTO MAGIC.
No ano de 2009, coinventou uma ilusão de palco, utilizada por mágicos profissionais de vários países (Espanha, Holanda, Suécia, Inglaterra e Estados Unidos) nos seus espetáculos.
Conta no seu percurso com atuações em festivais de magia (entre eles o MagicValongo, considerado o maior festival português de magia), espetáculos das mais prestigiadas empresas sediadas em Portugal e em programas de televisão dos três canais generalistas portugueses e ainda no Porto Canal, onde, no início de 2010, produziu e apresentou o programa de magia de rua “Porto Mágico”, pioneiro na televisão portuguesa, com performances realizadas em parceria com diversas figuras públicas ligadas à cidade, como Pedro Abrunhosa, Manuel Serrão ou Fernando Rocha.
Em 2011 criou, em parceria com o seu amigo Gonçalo Gil, a Escola de Magia do Porto (www.escolademagiadoporto.com), que dá formação a entusiastas e mágicos amadores de Norte a Sul do País.
As performances de João Miranda passam pela criação de ilusões que recorrem a estímulos visuais através dos quais pretende transmitir emoções ao público. Mais do que ilusões, trata-se de sensações que estimulam a capacidade de imaginar de cada espectador.
João Miranda é um dos mágicos portugueses mais requisitados, apostando fortemente na criação de novas ilusões e na recuperação de antigos números de magia, aliados às novas tecnologias. Dedica grande parte dos tempos livres à pesquisa e criação de novas ilusões, assumindo ainda uma grande paixão pelas viagens e pelo cinema.

[Alfaguara]Novidade "Os Enamoramentos",de Javier Marías


Titulo: Os enamoramentos
Autor: Javier Marías
Selo: Alfaguara
Páginas: 376
Preço: € 19,90


Os Enamoramentos foi eleito o melhor livro do ano pela imprensa literária espanhola, no mesmo ano em que Javier Marías recebeu o Prémio Literário Europeu, pelo conjunto da sua obra.


Sinopse: Todos os dias, María Dolz toma o pequeno-almoço no mesmo café de Madrid. Entretém-se a observar um casal que cumpre a mesma rotina. Parecem formar o casal perfeito, profundamente enamorado. Até que um dia o casal não aparece no café, o que deixa María com uma estranha sensação de perda.
Só mais tarde, quando vê uma fotografia do homem numa página de jornal - deitado no chão, esfaqueado, minutos antes de morrer - é que descobre que os amantes que tanto gostava de contemplar se chamavam Luisa e Miguel. Quando a mulher volta ao café, alguns dias depois, María aborda-a para lhe apresentar as suas condolências e entra assim numa espiral que a levará a descobrir mais sobre a morte aparentemente acidental de Miguel.
Partindo do mistério em redor da morte de Miguel, Os Enamoramentos revela-nos muito mais do que a verdade sobre esse trágico evento. É, acima de tudo, uma investigação metafísica sobre a vida, a morte, o amor e a moralidade. E um fascinante tratado sobre o estado de enamoramento, um estado positivo e redentor que parece justificar quase todas as coisas: acções nobres e desinteressadas, mas também as maiores crueldades.


Autor: Javier Marías, nascido em Madrid, em 1951, é um dos mais destacados autores espanhóis da actualidade. É autor de Los dominios del lobo, Travesía del horizonte, El monarca del tiempo, El siglo, El hombre sentimental (Prémio Ennio Flaiano), Todas las almas (Prémio Ciudad de Barcelona), Corazón tan blanco (Prémio da Crítica em Espanha, Prix l’Oeil et la Lettre, IMPAC Dublin Literary Award), Mañana en la batalla piensa en mí (Prémio Fastenrath, Prémio Rómulo Gallegos, Prix Fémina Étranger), Negra espalda del tiempo, e de Tu rostro mañana (3 volumes), além de livros de contos, antologias e colectâneas de ensaios e crónicas.
Em 1997 recebeu o Prémio Nelly Sachs, em Dortmund; em 1998, o Prémio Comunidad de Madrid; em 2000, os prémios Grinzane Cavour, em Turim, e Alberto Moravia, em Roma; em 2008, os prémios Alessio, em Turim, e José Donoso, no Chile; e em 2011, o Prémio Nonino, em Udine, e o Prémio Literário Europeu, todos eles pelo conjunto da sua obra.
Entre as traduções de sua autoria, destaca-se a de Tristam Shandy. Foi professor na Universidade de Oxford e na Universidade Complutense de Madrid.
A sua obra encontra-se publicada em quarenta idiomas e cinquenta países, com seis milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.
É membro da Real Academia Espanhola.


Imprensa:
“De longe o melhor romancista espanhol da atualidade.” Roberto Bolaño

“Javier Marías é, na minha opinião, um dos melhores escritores europeus contemporâneos.” J. M. Coetzee

“Há anos, disse que Marías é o melhor escritor vivo de Espanha… Desde então, nada me fez mudar de opinião.” Eduardo Mendoza, El País

“Marías tem um talento extraordinário.” The New York Times