[Entrevista]À conversa com...Sandra Marton

O fim-de-semana chegou e com ele veio mais frio e também uma nova entrevista.

Esta senhora, para mim, dispensa apresentações. Passei a minha adolescência a ler os seus livros, lançados pela editora Harlequin. Estou a falar de Sandra Marton, que acredito que muitos conhecem. Espero que gostem da entrevista e desde já queria agradecer à Sandra Marton pela sua incrível simpatia e disponibilidade para esta entrevista. Quero também fazer notar que a pergunta 11 foi respondida em português pela autora, algo que achei deveras notável.

De seguida deixo-vos, tal como é normal os dados biográficos da autora e logo depois a entrevista. Os dados biográficos foram retirados do site HarlquinPortugal.com. Espero que gostem.

“Sandra Marton escreveu o seu primeiro romance quando ainda andava na escola. Os seus pais disseram-lhe que um dia seria escritora e ela acreditou. No liceu e na universidade, escreveu poesia e apenas o seu namorado a apoiou. Casou-se, teve filhos e dedicou o seu tempo livre a escrever histórias sombrias. Contudo, nessa altura, nem sequer o seu marido a entendeu.
Nessa altura, Sandra decidiu escrever sobre gente real, embora, na verdade, os seus personagens transcendam o real, sendo isso o que mais agrada aos seus leitores de todo o mundo. Escreveu o seu primeiro romance e vendeu-o à Harlequin. Desde então escreveu mais de sessenta livros e todos eles dão vida a protagonistas sexys e muito bonitos. Foi nomeada quatro vezes para os prémios RITA (Romance Writers of America) e também recebeu diversos prémios da revista Romantic Times. Sandra vive com o seu próprio protagonista sexy e muito bonito numa casa solarenga no campo do noroeste dos Estados Unidos.”


1 – Muitos de nós já conhecemos a autora Sandra Marton através dos livros publicados pela Harlequin, mas o que nos pode contar acerca de si como pessoa?
R: Eu nasci e cresci em Nova Iorque. Adoro a energia e a excitação de Manhattan, mas o meu coração sempre esteve no campo, e é onde eu e o meu marido vivemos nos dias de hoje. A nossa casa situasse uma colina. Há uma bonita floresta por trás de nós e temos vários animais a visitar o nosso quintal, incluindo um veado que costuma comer as flores do nosso jardim. Gostamos muito de viajar, e fazemo-lo sempre que conseguimos encontrar tempo disponível. Gosto também de cozinhar, mas acabo por não ter muito tempo para o fazer quando estou a escrever um livro - e eu estou sempre a escrever um livro! Então é quando saímos para jantar fora ou contamos com os jantares congelados, take-out de comida chinesa ou pizza.


2 – Como e quando descobriu o seu gosto pela escrita?
R: Não me lembro de nenhum momento em que não gostava de escrever. Depois de a minha mãe morrer, tive que rever alguns dos seus papéis e encontrei poemas e histórias de quando eu era pequena, incluindo uma história que escrevi quando tinha sete anos. Era um conto de um rapaz rico que se apaixona por uma rapariga pobre. Acho que podem dizer que fui uma escritora de romances durante toda a minha vida.


3 – Foi difícil de escrever o seu primeiro livro?
R: Foi muito difícil. Eu formei-me na universidade com uma licenciatura em Escrita Criativa e escrevi várias pequenas histórias, poemas e peças para as cadeiras do curso, mas estranhamente nunca escrevi uma novela. Não realmente não sabia por onde havia de começar a minha história, demorou ainda mais um pouco para descobrir tudo o resto.


4 – Foi difícil de começar a publicar os seus manuscritos?
R: Oh, sim! Enviei uma carta de apresentação, a sinopse do meu livro e o primeiro capitulo para muitas, muitas editoras de romances. Algumas nem responderam, outras responderam e disseram que gostaram do que eu tinha enviado, mas ninguém pediu para ver mais. A única editora para a qual não enviei foi a Harlequin. Nunca pensei que uma empresa tão grande pudesse estar interessada numa nova autora. Então, depois de mais outra recusa desse primeiro livro (que tinha jurado que seria a ultima), deitei o manuscrito para o caixote do lixo. O meu marido viu e perguntou-me a razão pela qual tinha feito aquilo, eu disse-lhe que tinha sido rejeitada por todas as editoras, com a excepção da Harlequin, e que por isso nem sequer havia razão para o enviar para eles. Felizmente para mim, ele não concordou. Pegou no manuscrito, dirigiu-se para a estação dos correios mais próxima e enviou-o para a Harlequin. Duas semanas mais tarde um editor ligou-me e disse que gostaria de ver o resto do livro. Esse foi o início da minha carreira.


5 – Em que se baseia na criação das suas personagens e sítios onde se passam as historias?
R: Eu primeiro crio o herói. Os meus livros são mais acerca dele do que da heroína. Ele é o centro, o coração, o núcleo da minha história e muito antes de começar a escrever já o conheço muito bem. Sei tudo acerca da sua infância, a sua educação, amigos, sucessos e falhas. Sei o que lhe ele mais gosta e o que detesta. Sei que há algo nele que precisa do amor de determinada mulher e então crio essa mulher. Ele tem de ser alguém que o desafie, porque os meus heróis são sempre fortes, poderosos e Homens Alpha que precisam de quem os desafie. Assim que visualizo os meus personagens, eu sei que tipo de ambiente eles vão precisar, quer seja uma cidade sofisticada ou um enorme rancho.


6 – Será que nos pode contar como planeia o seu dia? Tem algum ritual específico que a ajude a concentrar antes de começar a escrever?
R: O meu dia começa as 7:30 da manha e sempre com uma grande chávena de café forte. O meu marido e eu conversamos um pouco enquanto bebemos o café e sou capaz de ler um capítulo do livro que estiver no meu Kindle ou talvez ligo a TV para ver as notícias da manhã. O meu escritório é em casa e normalmente estou em frente ao computador por volta das nove horas. Consulto o meu email, navego um pouco na internet, admito que adoro fazer compras online, especialmente sapatos. Começo então a trabalhar, sempre lendo o que escrevi no dia anterior. Faço uma pequena pausa por volta do meio-dia para almoçar e de seguida volto para o trabalho até as seis da tarde, quando eu e o meu marido aproveitamos para relaxar e beber um copo de vinho. Dependendo do tempo, fazemo-lo no pátio ou sentamo-nos em frente à nossa enorme lareira.




7 – Tenho de confessar que os meus livros favoritos pertencem à série “Os Baron” (tenho todos os livros). Nas suas palavras, pode falar-nos um pouco acerca da serie, como a criou e escolheu o destino dos membros daquela família?
R: Isso é maravilhoso, Ana! A série “Os Baron” continua também a ser a minha favorita. Comecei com a ideia de um pai poderoso, Jonas Baron e os seus filhos, que não queriam seguir as suas pisadas. Assim que comecei a escrever os primeiros livros os outros membros da família começaram a ser tão reais para mim que não consegui imaginar-me a não escrever as suas histórias. Cada personagem tornou-se real na minha imaginação. Cada um contou-me as suas histórias. Eu sei que pode parecer esquisito, mas não sei explica-lo de outra forma. A verdade é que foi muito difícil para mim deixar os Baron. Eu adorava-os a todos, muitas vezes ainda penso em contar talvez a história do Jonas, em particular. Actualmente, alguns fans ainda me escrevem a dizer-me que querem saber mais acerca da sua juventude e da mulher que ele amou. Talvez um dia…


8 – Quando escreveu a série “Sheikh Tycoons” fez alguma pesquisa acerca da cultura muçulmana ou simplesmente começou a escrever e deixar a sua imaginação voar?
R: Eu fiz muita pesquisa! Sempre o faço antes de cada livro, mas escrever acerca de Xeques requer uma atenção especial. Li bastante sobre o assunto, especialmente online; Li muitos blogues e visitei muitos sítios online através de fotos e vídeos. Mais recentemente, durante uma viagem Turquia, falei com algumas mulheres muçulmanas. Elas deram-me muitos pontos de vista, mas sou principalmente uma escritora, por isso sou sempre cuidadosa ao criar uma história ficcional para os meus xeques para que seja livre de criar o tipo de cultura que pretendo para a minha história. Eventualmente, depois de tudo isso, sento-me à frente do computador e, tal como foi mencionado deixo a minha imaginação voar.


9 – Se tivesse que escolher, de todas as series que já escreveu, qual foi a mais difícil de escrever?
R: Provavelmente seria a mais recente. É sobre a família Wilde. O pai é um General de quatro estrelas. Há três filhos: Jacob, Caleb e Travis, e os irmãos têm três irmãs por afinidade: Emily Lissa e Jaimie. Porque foi difícil de escrever? Porque os primeiros três foram escritos para a minha editora de longa data Harlequin Presents, Harlequin Bianca, no Brasil; Mas vou escrever os livros acerca das irmãs para o independente e incrível mercado dos e-books. Estou muito excitada com isso, penso que os e-books são o futuro para os leitores e escritores, e espero que os livros das irmãs deixem os leitores satisfeitos. Como podem imaginas, não vai ser fácil fazer com que os meus leitores saibam que os irmãos Wilde serão publicados pela Harlequin e que a irmãs serão publicadas por mim. Eu irei manter a informação actualizada no meu site http://www.sandramarton.com e se os leitores forem lá, podem assinar a minha newsletter e descobrir mais acerca desta minha nova jornada.


10 – Será que nos pode contar algo acerca dos seus projectos mais recentes?
R: Muito obrigada por perguntar, Ana. Como disse antes, irei começar a escrever os meus livros para download para plataformas como Kindle, Nook, i-Phone, i-Pad e também para os computadores dos meus fans. De facto, já tenho alguns livros disponíveis nesses sítios. Na sua maioria são livros da Presents/Bianca do início da minha carreira, costumo chama-los de “Os Clássicos da Sandra”. Outros dois são novelas um pouco mais longas, “Until You” e “Charon’s Crossing”. São ambos romances apaixonantes e sensuais com um toque se suspense. “Charon’s Crossing” tem até um lindo e sensual fantasma! Eu adorava que estes livros fossem traduzidos para português, mas ainda não houve oportunidade. De qualquer forma, qualquer um dos meus leitores que leiam em inglês podem apreciá-los e neste momento “Until You” é absolutamente grátis para Kindle e podem comprar “Charon’s Crossing” a um preço razoável.


11 – Tem alguma mensagem especial para os seus leitores Portugueses?
R: “Eu amo-o todos, e obrigado para ler meus livros!”


12 – Tem algum conselho para aqueles que querem seguir uma carreira como autores?
R: Leiam, leiam, leiam! Leiam os vossos autores favoritos, não apenas romances, mas em todos os géneros. Podem sempre aprender algo novo com bons escritores. E escrevam, escrevam, escrevam. Escrever é como tocar piano, quanto mais praticarem, melhor se tornam. Tentem manter um diário ou então tirem notas de quase tudo que vos emocione: um lindo pôr-do-sol, um casal a andar de mãos dadas na praia, um casal a ter uma discussão num restaurante. Observem as pessoas, vejam como homem e mulheres interagem entre si. Ser autor é aprender a ver o que os outros não vêm, então aprendam a escrever acerca do que conseguem ver de maneira a interessar aos leitores. É um trabalho duro, mas que merece a pena.

[Porto Editora]Obra sobre Pessoa é livro do ano no Brasil


Título: Fernando Pessoa – Uma quase-autobiografia
Autor: José Paulo Cavalcanti Filho
Págs.: 712
Capa: mole com badanas
PVP: 25,00 €

José Paulo Cavalcanti Filho distinguido pela Academia Brasileira de Letras
A Academia Brasileira de Letras (ABL) acaba de distinguir Fernando Pessoa – Uma quase-autobiografia, de José Paulo Cavalcanti Filho, como livro do ano no Brasil.
O prémio, no valor de 75 mil reais, intitula-se José Ermírio de Moraes e foi instituído pela família daquele ex-senador brasileiro e pela empresa Votorantim, em 1995.
Citado pelo sítio da ABL, o académico Marcos Vilaça, ex-presidente da instituição, afirmou: «A Academia hoje reconheceu o trabalho de um pesquisador competente e obstinado. É a mais importante biografia de Pessoa, desfazendo equívocos de décadas em torno do homem».
Com esta obra, Cavalcanti Filho já havia vencido o Prémio Brasília de Literatura, na categoria Biografia. O livro agora novamente distinguido está ainda nomeado para o famoso Prémio Jabuti, também na categoria de biografia.
Em Portugal, a primeira edição esgotou e a segunda já está nas livrarias.
José Paulo Cavalcanti Filho é advogado, ex-Ministro da Justiça do Brasil, consultor do Banco Mundial e da UNESCO. Integra, por nomeação da Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, juntamente com outras seis individualidades, a “Comissão da Verdade”, responsável por investigar os crimes da ditadura militar brasileira.

[Alfarroba]Opinião "Soberba Tentação",de Andreia Ferreira


Andreia Ferreira




















Sinopse: Depois de descobrir que o sobrenatural não representa um medo irracional e que as criaturas caminham lado a lado com os humanos, Carla tem de enfrentar as consequências do seu envolvimento com o Caael.
Os demónios já deixaram marcas na vida da Ana e da Raquel e a Carla começa a sentir algumas dificuldades em encontrar-se.
Entre lacunas na memória, sentimentos e novas preocupações, surge uma existência virada do avesso com a linha da vida mais ténue do que nunca.
Com a ausência do Caael, assomam revelações que levantam um plano ancestral de uma disputa entre iguais. A Carla vê-se num tabuleiro de xadrez, como um rei isolado, com a rainha a jogar contra ela.


Opinião: Muitas são as vezes que, talvez por preconceito, julgamos que o que é nacional não merece a nossa atenção ou respeito. Nós portugueses temos por hábito desprezar aquilo que é nosso, ridicularizar quem se esforça para cumprir os seus objectivos de vida e depois acabamos por cair em nós ao vermos o fruto do esforço daqueles que na verdade nos estão mais próximos. Não vou ser hipócrita, eu já pertenci a esse pequeno grupo. Muitas vezes dei por mim a pegar em livros de autores portugueses numa livraria e a voltar a coloca-los na prateleira com aquele pensamento mesquinho “É português!”, mas esse foi um hábito que acabei por deixar de lado desde que iniciei o blogue e fui transportada para um mundo de escolhas literárias mais alargado. Aos poucos comecei a perceber que em Portugal também havia talento, também havia quem soubesse escrever e soubesse também transportar-nos para o mundo da fantasia.

Pois bem, era a este ponto que queria chegar. Tinham sido inúmeras as vezes que tinha ouvido falar desta trilogia e confesso que quando saiu o primeiro volume fiquei um pouco reticente para o ler. Entretanto saiu o segundo volume e algo em mim pareceu despertar, não sei explicar a razão, talvez tenha sido a sinopse, talvez a capa… A única coisa que sabia era que tinha de o ler. Claro que como a curiosidade levou a melhor, acabei por conseguir ter em minha posse o segundo livro. Sei que não devia ter começado a ler antes de ter conhecimento da história inicial, mas não consegui aguardar e comecei a ler o livro há dois dias atrás.
Apesar do receio por não estar dentro da história assim que comecei a leitura fiquei logo presa nos acontecimentos que se desenvolviam. O modo de escrita da Andreia tem aquele toque mágico que nos prende a um livro e que apenas nos larga quando chegamos ao final. Achei também incrível que, apesar de ser notória a fonte de inspiração da autora, ela conseguiu transformar tudo num mundo novo e seguir as suas próprias pisadas de uma forma simples e original. Claro que há coisas que acabaram por me escapar, razão pela qual devia ter lido o primeiro volume, mas mesmo assim consegui introduzir-me facilmente na história e perceber o que se tinha passado. Dou desde já os parabéns à autora por ter conseguido tal proeza, nem todos conseguem escrever um segundo livro de maneira a que o seu leitor consiga entrar na história sem ler o primeiro.

As personagens estão muito bem definidas, com um carácter muito próprio e assim que as conhecemos acabamos por nos apaixonar por elas. Quanto ao ambiente em que se desenrola a acção, algumas vezes está demasiado descritivo aumentando a impaciência do leitor para saltar uma ou duas linhas para ler o que irá acontecer de seguida, mas penso que isso não será grave, pois não será essa a razão pela qual irá largar o livro.
Fiquei bastante curiosa em relação ao Caael, apesar de ser um anjo caído e ter algo nele que me deixa com vontade de o assassinar, há também algo que me faz pensar que talvez ele esteja a mudar gradualmente. Adorei o Ricardo, aquele vampiro sexy faz qualquer mulher pensar duas vezes e tive muita pena daquilo que aconteceu à Raquel (apesar de pensar que era inevitável). Com aquela cena final, fiquei na dúvida acerca da Marília e da identidade dela no mundo humano. Algo não bate certo e a morte do Pequeno faz-me suspeitar… mas só me resta aguardar pelo terceiro e ultimo volume da Trilogia Soberba, o qual não irei perder com certeza.

Quero dar os parabéns à editora por dar oportunidade aos nossos talentos nacionais e também à Andreia Ferreira por ter conseguido escrever esta trilogia fantástica. Esta é a prova que conseguimos rivalizar com autores internacionais que todos os dias vêm os seus livros tornarem-se bestsellers.

[Porto Editora]Novidade "Um Dia Naquele Inverno",de Sveva Casati Modignani


Título: Um Dia Naquele Inverno
Autor: Sveva Casati Modignani
Tradutor: Regina Valente
Págs: 384
PVP: 16,60 €

Lançamento de Um Dia Naquele Inverno contará com presença da autora
Os leitores pediram, a autora respondeu: Sveva Casati Modignani vem a Lisboa apresentar o seu mais recente romance, Um Dia Naquele Inverno, que a Porto Editora publica a 4 de outubro.
Com o famoso Lago de Como como cenário, esta é uma história sobre uma jovem francesa que um dia vai viver para a exuberante mansão de uma família italiana.
Sveva Casati Modignani vai estar em Lisboa entre os dias 18 e 23 de outubro para diversas sessões de autógrafos e contactos com a comunicação social.


SINOPSE
Numa grande mansão, às portas de Milão, vivem os Cantoni, proprietários há três gerações da homónima e prestigiada fábrica de torneiras. Aparentemente, todos os membros da família levam uma vida transparente, mas, na realidade, todos eles escondem segredos que os marcaram; existem situações que, ainda que conhecidas por todos, permanecem um tema tabu. Omite-se até a loucura de que sofre Bianca, a matriarca desta dinastia.
Um dia, entra em cena Léonie Tardivaux, uma jovem francesa sem dinheiro e sem parentes, que casa com Guido Cantoni, o único neto de Bianca. Léonie adapta-se bastante bem à rotina familiar, compreendendo a regra de silêncio dos Cantoni. Isso não a impede de ser uma esposa exemplar, uma mãe atenta e uma gerente talentosa, que, com bastante êxito, conduz a firma pelo mar hostil da recessão económica. No entanto, também ela cultiva o seu segredo, aquele que todos os anos, durante apenas um dia, a leva a largar tudo e a refugiar-se no Lago de Como.
Mais uma vez, Sveva Casati Modignani cativa o leitor com uma saga familiar que atravessa quase um século da História de Itália, dos anos 20 até aos dias de hoje, colocando em cena personagens encantadoras: homens inteligentes, autênticos e perspicazes, que têm ao seu lado mulheres fortes e inigualáveis, capazes de os aconselhar e apoiar.


A AUTORA
Reconhecida como a grande signora do bestseller italiano, com mais de 11 milhões de exemplares vendidos, Sveva Casati Modignani está traduzida em 17 países e é hoje uma das autoras mais populares em Portugal. No catálogo da Porto Editora figuram já os seus romances Feminino Singular, Baunilha e Chocolate, O Jogo da Verdade, Desesperadamente Giulia, O Esplendor da Vida, A Siciliana, Mister Gregory e A Viela da Duquesa.


[Casa das Letras]Novidade "Dia a Dia Mafalda",de Mafalda Pinto Leite


Titulo: Dia a Dia Mafalda
Autor: Mafalda Pinto Leite
N. Páginas: 256 
PVP: 22,90€

Receitas para todos os dias da semana!

Sinopse: Comer é um prazer tão simples e primordial que é uma pena que estejamos a perder o hábito de cozinhar todos os dias. Não há maior alegria do que partilhar momentos com amigos e familiares à mesa, a desfrutar de uma boa e reconfortante refeição.
Por isso, procuro contribuir para que mães e donas de casa como eu tornem os seus momentos com a família e os amigos ainda mais especiais.
Este livro vai trazer-vos novas receitas, ideias e sugestões, sempre saborosas e fáceis de preparar. As receitas estão organizadas pelos dias da semana, pois cada dia é diferente... ao fim de semana temos mais tempo e podemos demorar-nos mais na cozinha a fazer pão ou um jantar especial para amigos, e há outros dias que a única solução é aproveitar, de uma forma deliciosa, as sobras que estão no frigorífico. Encontram, neste livro, tudo o que precisam para cozinharem todos os dias algo de especial.


Autor: Desde pequena que Mafalda Pinto Leite gosta de culinária. Aos 20 anos foi para a Escócia, onde passou alguns meses a trabalhar numa cozinha vegetariana. Seguiu para Nova Iorque para tirar o curso de chefe no Natural Gourmet Institute For Health & Culinary Arts. Na Califórnia trabalhou no Chez Panisse, tido pela revista Gourmet como uns dos melhores restaurantes dos EUA. Em 2000, foi para Londres, fazendo parte da equipa do Monte’s, onde Jamie Olivier era consultor e Ben O’Donoghue, chefe. A convite do último foi chefe na Books for Cooks, uma livraria gastronómica cujas receitas são executadas na parte de trás da loja.
Regressada a Portugal, já editou três livros, sendo também colaboradora da revista Visão. Em 2010, foi a cara do programa «Dias com Mafalda» transmitido na Sic Mulher e na Sic Notícias.

[Quinta Essência]Novidade Outubro 2012


Titulo: Nas Asas da Memória
Autor: Sarah Sundin
Lançamento: 4 de Outubro

Irá um segredo do passado destruir a possibilidade de um futuro?
Asas de Glória - Livro II

Sinopse: O major Jack Novak nunca recusou enfrentar um desafio – até que conhece a enfermeira tenente Ruth Doherty. Quando Jack vai parar ao hospital do exército depois da queda de um avião, decide que a sua missão prioritária é conquistar o coração de Ruth. Não será fácil. Não só Ruth está concentrada no seu trabalho para poder sustentar a família, como carrega um segredo vergonhoso que a impede de entregar o coração a qualquer homem. À medida que o perigo e a tensão da Segunda Guerra Mundial aumentam, Jack e Ruth irão precisar um do outro mais do que nunca. Conseguirá Jack transpor as defesas dela? Ou estarão destinados a seguir caminhos diferentes?
Conseguirão eles ultrapassar o passado… e encontrar juntos um futuro melhor?
Nas Asas da Memória, o segundo livro da série «Asas de Glória» é uma viagem arrebatadora pelos dias fascinantes e horrendos da Segunda Guerra Mundial.



Autor: Sarah Sundin é farmacêutica hospitalar e vive no norte da Califórnia com o marido e três filhos. O seu tio-avô voou com a Oitava Força Aérea dos EUA em Inglaterra. Sarah tem um bacharel em Química pela UCLA e um doutoramento em Farmácia pela Universidade de São Francisco.

Imprensa: 
«Uma leitura excecional. O romance de Sundin tem personagens que vivem sob grande stresse físico e emocional, enquanto o pano de fundo fornece pormenores preciosos sobre a mentalidade de guerra.»
Booklist

«Factos históricos entrelaçados com personagens convincentes torna Nas Asas da Memória uma emocionante história de guerra, intriga e amor.»
Romantic Times

«Uma história fascinante baseada nas aventuras reais do tio-avô da autora.»
Lynne Welch

[Assirio & Alvim]Novidades Setembro 2012


Titulo: Estação Central
Autor: José Tolentino Mendonça
N. Páginas: 64
PVP: 9,00 €

Sinopse: O mais recente livro de poesia de José Tolentino Mendonça
Reconhecido unanimemente como um dos grandes poetas portugueses da atualidade, José Tolentino Mendonça regressa com Estação Central. Na epígrafe a um dos poemas lemos Dietrich Bonhoeffer: «Deus é impotente e fraco no mundo, e somente assim está connosco e nos ajuda». Compreende-se por isso que «[…] Deus sendo puro deixa-se consumir / com a paixão insultuosa / dos devassos». Esta ambivalência entre a solidão da humanidade e o maravilhoso mistério que a acompanha perpassa as páginas deste livro.

CREDO
atribuído a Yossel Rakover
Creio no sol, mesmo quando não o vejo
Creio no amor, mesmo quando não o abraço
Creio em Deus, mesmo quando Deus se cala


Titulo: O Concerto Interior — evocações de um poeta
Autor: António Osório
N. Páginas: 136
PVP: 12,00 €

Sinopse: As admiráveis evocações de um poeta
«As recordações são acompanhadas aqui de poemas. Não se trata de uma antologia — a poesia procurou sempre tornar mais clara a minha vida, e a prosa revela a verdade dos versos e das pessoas invocadas. As duas, lado a lado, buscam o encanto de caminharem juntas e de se completarem. Falta acrescentar que o mistério da existência — procurei-o sempre descobrir ao longo da vida — é o das quatro estações. Porque será que a velha glicínia segue o ritmo das jovens roseiras, essas lindas raparigas? E porque luzem na hora certa, como as constelações? De tudo resulta um concerto interior, preenchendo a alma e tornando-a digna de voltar.»
António Osório

«E em cada poema, em cada texto, é o sentido do mundo que procura, o lado fraterno da existência, como se pode aferir, página a página, em O Concerto Interior. Concertante deambulação pelas recordações e poemas de um homem que nunca deixou de procurar entender o mistério das quatro estações. Em fundo talvez Vivaldi, reverberação constante dos seus dias.»
Maria Leonor Nunes, JL 19/09/2012


Titulo: Teoria da Heteronímia
Autor: Fernando Pessoa
Organização: Richard Zenith e Fernando Cabral Martins
N. Páginas: 384
PVP: 18,00 €

Sinopse: Um livro fundamental para compreender uma das facetas mais marcantes da obra pessoana «Caímos na armadilha. Fomos, realmente, burlados, como foram burlados os seus amigos para quem ele preparou, de peito feito, a grande “palhaçada” dos seus heterónimos.» O parecer, publicado em 1951, é do primeiro biógrafo de Fernando Pessoa. Embora João Gaspar Simões muito admirasse o poeta, considerava os heterónimos uma blague e a obra feita em seu nome um «ciclo mistificador». No entanto, para muitos especialistas e leitores, a heteronímia é a chave que permite apreciar devidamente a obra e o génio do poeta. A presente edição reúne textos de Fernando Pessoa — prosa, poesia e alguns projetos — que de algum modo incidem sobre o tema da heteronímia, enquanto procedimento literário e como modo de estar no mundo. Um prefácio analisa e contextualiza o fenómeno, enquanto uma Tábua de heterónimos e outros autores fictícios descreve as aptidões e a atividade literária de 106 «colaboradores» de Pessoa, alguns dos quais revelados nesta edição pela primeira vez.
«Criei em mim várias personalidades. Crio personalidades constantemente. Cada sonho meu é imediatamente, logo ao aparecer sonhado, encarnado numa outra pessoa, que passa a sonhá-lo, e eu não. Para criar, destruí-me. Tanto me exteriorizei dentro de mim, que dentro de mim não existo senão exteriormente. Sou a cena nua onde passam vários atores representando várias peças.»
Fernando Pessoa

[Porto Editora]Tradução de obra de Thomas S. Kuhn premiada pela União Latina e FCT


Título: O percurso desde A Estrutura – Ensaios filosóficos (1970-1993) e entrevista autobiográfica
Autor: Thomas S. Kuhn
Tradução: Ana Sampaio
Coleção: História e Filosofia da Ciência
Págs: 352
PVP: € 29,90
Preço WOOK: € 26,91


A tradutora Ana Sampaio conquista distinção cinco anos depois de ter recebido Menção Honrosa pelo livro Galileu, Cortesão, também da Porto Editora.
A União Latina e a Fundação para a Ciência e a Tecnologia decidiram atribuir o Prémio de Tradução Científica e Técnica em Língua Portuguesa a Ana Sampaio, pela tradução da obra de Thomas S. Kuhn, O percurso desde A Estrutura – Ensaios filosóficos (1970-1993) e entrevista autobiográfica.
Ana Sampaio é uma experiente tradutora de livros dedicados ao pensamento e à história da ciência, tendo assegurado, para a Porto Editora, a tradução de Ciência e Religião, de John Hedley Brooke, Ciência e Iluminismo, de Thomas L. Hankins, e Galileu, Cortesão, de Mario Biagioli, com o qual ganhou uma Menção Honrosa na XV edição deste mesmo Prémio da responsabilidade da União Latina e da Fundação para a Ciência e Tecnologia.
Integrada na coleção História e Filosofia da Ciência, esta obra reflete a evolução do pensamento de Thomas S. Kuhn nos anos mais tardios da sua vida, no seguimento do livro A Estrutura das Revoluções Científicas com que introduziu uma das mais influentes conceções de progresso científico que emergiram durante o século XX. Em O percurso desde A Estrutura – Ensaios filosóficos (1970-1993) e entrevista autobiográfica são reunidos vários ensaios que alargam e reformulam as perspetivas apresentadas em A Estrutura, assim como uma longa e reveladora entrevista autobiográfica.

[Editorial Presença]Resultado do Passatempo "As Namoradas do Meu Marido"


Está de chuva, mas o blogue não pára!
Desta vez, e com o apoio da Editorial Presença estava em jogo um exemplar do novo livro da Bridget Asher “As Namoradas do Meu Marido” para quem acertasse a todas as perguntas.
O sorteio foi realizado através do random.org e o número seleccionado foi:

28 - Miriam Susana Silva Reis, de Póvoa de Varzim

Muitos parabéns.
Para quem não ganhou, continuem a participar nos passatempos do blogue, quem sabe da próxima não será a vossa vez.
Beijinhos

[Asa]Resultado do Passatempo "Peripécias do Coração"


Um passatempo que termina e alguém que irá receber um livrinho em casa! Pois é, aqui no blogue temos sempre prendinhas especiais para os seus seguidores.
Desta vez estava em jogo um exemplar do novo livro da Julia Quinn “Peripécias do Coração” para quem acertasse a todas as perguntas.
O sorteio foi realizado através do random.org e o número seleccionado foi:

88 - Teresa Natércia Santos Araújo, de Rio Tinto

Muitos parabéns.
Para quem não ganhou, continuem a participar nos passatempos do blogue, quem sabe da próxima não será a vossa vez.
Beijinhos

[Sextante Editora]Duas novidades de Rubem Fonseca


José e Axilas & outras histórias indecorosas são uma novela autobiográfica e uma coletânea de contos
Trata-se de dois livros muito aguardados: José e Axilas & outras histórias indecorosas, de Rubem Fonseca, são duas novidades da Sextante Editora que vão ser publicadas a 4 de outubro.
José é uma autobiografia do prestigiado autor brasileiro, uma memória da sua infância e juventude, onde perpassa o entusiasmo e a paixão pelos livros, o fascínio pelas mulheres e a sua ascendência portuguesa.
Já Axilas & outras histórias indecorosas é um livro de contos negros, permeados por um humor ácido e um forte erotismo, personagens obsessivas e impiedosas para consigo mesmas e, sobretudo, para com quem as rodeia.


Título: José
Autor: Rubem Fonseca
Págs.: 112
PVP: € 13,30

Sinopse: Ao falar de sua infância José tem que recorrer à sua memória e sabe que ela o trai, pois muita coisa está sendo relembrada de maneira inexata, ou foi esquecida. Mas ele gostaria de concluir, ao fim dessas lembranças tumultuadas, que a memória pode ser uma aliada da vida. Sabe que todo relato autobiográfico é um amontoado de mentiras – o autor mente para o leitor, e mente para si mesmo. Mas aqui, se alguma coisa foi esquecida, ele se esforçou para que nada fosse inventado. José cita Proust: «a lembrança das coisas passadas não é necessariamente a lembrança das coisas como elas foram.»


Título: Axilas & outras histórias indecorosas
Autor: Rubem Fonseca
Págs.: 144
PVP: € 13,30

Sinopse: «Eu ainda não sabia o seu nome, que depois descobri ser Maria Pia. Ela já estava sentada quando vi os seus braços, braços finos, que para o meu bisavô não causariam o menor interesse, ele provavelmente os acharia feios. Além do mais, Maria Pia usava uma manga cavada e os braços estavam totalmente desnudos. Meu bisavô gostaria que ela usasse mangas curtas meio palmo abaixo do ombro e que seus braços fossem cheios, do jeito que Machado de Assis descreve no conto “Uns braços”. Maria Pia era fina, toda ela, eu sabia, desde o início, vendo-lhe apenas os braços. E quando ela deu-lhes movimento, pude ver parte da sua axila.»


O AUTOR
Contista, romancista, ensaísta, guionista e «cineasta frustrado», Rubem Fonseca só precisou de publicar dois ou três livros para ser consagrado como um dos mais originais prosadores brasileiros contemporâneos.
Em 2003, ganhou o Prémio Juan Rulfo e o Prémio Camões, o mais importante da língua portuguesa. Recebeu cinco vezes o Prémio Jabuti. Com várias das suas histórias adaptadas ao cinema, ao teatro e à televisão, Rubem Fonseca já publicou treze coletâneas de contos e onze romances.

[Bertrand Livreiros]Bertrand Livreiros organiza 1.º Quiz Literário‏




A Bertrand Livreiros organiza durante o mês de outubro o 1º Quiz Literário Bertrand.
Neste Quiz desafiamos os leitores que também são enciclopédias a mostrarem a sua sabedoria literária. O concurso consistirá em três eliminatórias, a primeira a realizar-se no Porto, a 13 de outubro, a segunda em Aveiro, a 20 de outubro, e a última em Lisboa, no dia 27. Os concorrentes vão ver os seus conhecimentos sobre literatura testados através de um conjunto de 60 perguntas divididas por três níveis de dificuldade. As duas equipas vencedoras de cada eliminatória irão à grande Final, no dia 10 de novembro, na Bertrand do Chiado.
Esta iniciativa contará com a preciosa participação de José Mário Silva e de Pedro Vieira.
Para saber tudo sobre o 1º Quiz Literário Bertrand visite-nos em www.facebook.com/bertrandlivreiros

[Planeta]Novidades Setembro 2012


Titulo: D. Pedro O Rei-Imperador - O Império És Tu
Autor: Javier Moro
N. Páginas: 520 páginas
PVP: 22,90€
Lançamento:  20 de Setembro

Sinopse: Com a beleza exuberante dos trópicos como pano de fundo, Javier Moro narra, com paixão pelo pormenor, a prodigiosa epopeia do nascimento do maior país da América do Sul, com a visão histórica que nos oferece um imperador humano que defende os seus ideais e não o déspota como em geral os livros de História o costumavam conotar. Um Bragança e Borbón, neto de Carlos IV, a quem o seu pai, D. João VI, lhe disse um dia: «Podes amar como um  homem, mas tens de te casar como um príncipe, porque o império és tu... e sê-lo-às um dia».
Nesta biografia romanceada sobre Pedro I do Brasil, podemos ler que aquele imperador capaz de cavalgar durante sessenta quilómetros sem desmontar do cavalo, de estar um dia inteiro sem comer, de navegar oceanos de inimigos e de fascinar mulheres inesquecíveis, tinha uma enorme sensibilidade que se manifestava no seu amor incondicional pelas crianças. Apesar de uma esmerada educação e de grande inteligência, a personalidade de D. Pedro I era excessiva e contraditória, as mulheres foram a sua salvação e a sua perdição. Teve vários filhos e muitos ilegítimos: do casamento com a primeira mulher, a virtuosa Leopoldina de Áustria que o levou ao apogeu teve sete filhos, e cinco com a amante, a ardente Domitila de Castro, que o arrastou para a decadência. Era um liberal entre os absolutistas, um promíscuo entre os monogâmicos, um hiperactivo e um bipolar, que ora era Jekyll para a seguir se transformar em Hyde. Dono de uma personalidade escandalosa, D. Pedro I tinha como único objectivo ‘beber a vida em grandes goles, num copo maior que a própria grandeza.’
Quando o imenso Brasil se tornou pequeno e o poder deixou de lhe interessar, pôs a sua vida em risco por aquilo que acreditava ser justo. E alcançou a glória.


Titulo: A Floresta Mecânica – Os Variantes
Autor: Robison Wells
N. Páginas: 328 páginas
PVP: 17,75 €
Lançamento:  20 de Setembro

Sinopse: Na Academia Maxfield, as escolhas são: Sociedade – Caos – Variantes
Benson terá de juntar-se a um dos grupos para sobreviver. Mas está determinado a fugir. Só há uma pessoa em quem pode confiar: ele próprio. Benson Fisher pensou que uma bolsa para frequentar a Academia Maxfield seria o seu passaporte para uma vida com futuro. Estava enganado. Agora, vive num colégio cercado por uma vedação de arame farpado. Um colégio onde câmaras de vigilância monitorizam todos os seus movimentos. Onde não há adultos. Onde os alunos se dividiram em grupos para sobreviver. Onde a punição por violar as regras é a morte. Mas, quando descobre, por acidente, o verdadeiro segredo do colégio, Benson percebe que cumprir as regras poderá trazer-lhe um destino pior do que a morte, e que a fuga – a sua única esperança de sobrevivência – talvez seja uma missão impossível.


Titulo: Dinossauros em Acção
Autor: Geronimo Stilton
Tradução: Ana Maria Pinto da Silva
N. Páginas: 48 páginas
PVP: 12,90€
Lançamento: 20 de Setembro

Sinopse: O sétimo volume desta colecção de banda desenhada, que tal como os anteriores, integra o Plano Nacional de Leitura, é passado num tempo muito distante: o Período Cretácico.
Geronimo Stilton é o director do Eco dos Roedores, o jornal mais famoso da Ilha dos Ratos.
Nos tempos livres adora contar histórias alegres e divertidas. Determinados a desembaraçar-se
do Professor Volt de uma vez por todas, os Gatos Piratas raptam-no e abandonam-no no Período Cretácico. De forma a salvar o amigo, Geronimo vai deparar-se frente a frente com dinossáurios e répteis voadores!
Para crianças a partir dos 7 anos.