[SDE]Opinião "Julgamento Mortal",de J.D. Robb


J.D. Robb





















Sinopse: No clube noturno Purgatório, a tenente Eve Dallas descobre o corpo brutalmente assassinado de um colega polícia. Pouco depois, outro polícia é encontrado morto. Descobre-se que ambos os homens tinham uma ligação ao criminoso Max Ricker. Mas à medida que Eve aprofunda a investigação, expõe um caso de crime e corrupção policial que coloca a sua carreira em perigo.
Para tornar as coisas piores, o clube Purgatório pertence ao seu marido milionário Roarke, um antigo sócio do criminoso Ricker. Inevitavelmente, as vidas pessoais e profissionais de Roarke e Eve acabam por se misturar, causando ainda mais confrontos num casamento já de si tempestuoso. Conseguirá Eve salvar a sua vida, reputação e, acima de tudo, o seu casamento?


Opinião: Mais um caso finalizado, mais uns bandidos atrás das grades! Com Eve Dallas é mesmo assim, muita acção, muito romance e riso á mistura, mas sempre com o dever acima de tudo. Adoro esta serie e sigo-a religiosamente. Este foi um caso particularmente difícil, tanto para a protagonista, como para quem o leu. Ao contrário dos outros volumes, não consegui descobrir a identidade do assassino e talvez por isso tenha colocado este livro um pouco acima dos outros. Acredito que não seja fácil para o autor escrever uma historia que contenha algumas pistas acerca do verdadeiro assassino e mesmo assim não o desvendar por completo e por isso muitas vezes fecho os olhos para esse detalhe desde que o resto da historia seja simplesmente deliciosa, mas este livro teve tudo isso e mais alguma coisa. Como sempre adorei a relação entre a Peabody e o NcNabb, amei a forma em como a Eve se relaciona com o Summerset e acabei por me deliciar com a cena de pancadaria entre o Roarke e o Webster. Ai o Roarke, pena não existir um homem assim na vida real, ou se existe, já deve ter sido caçado!
Este foi um volume que se fixou em ideais como o companheirismo, fidelidade (seja profissional ou numa relação) e também na confiança. Apesar de ser apenas uma história de ficção, sabemos que o que é contado é algo que se passa no dia-a-dia de muitos polícias. Infelizmente tenho de concordar que muitos polícias são tão corruptos como os criminosos que apanham, claro que muitos não são assim, que fazem o seu trabalho da forma mais correcta possível, mas muitas vezes acabam por “levar por tabela” pelo que os outros fazem de mal. Penso que é isso que a autora nos quis mostrar neste livro.
Agora é só espera pelo próximo e mesmo que o Roarke volte a ser dono do sítio onde o crime foi cometido, e isso começa a tornar-se repetitivo, sei que vou voltar a devorar a história e isso sim é um ciclo vicioso. J.D. Robb é tão viciante como a própria Nora Roberts…

0 comentários:

Enviar um comentário