[Quinta Essência]Opinião - "Diz-me Quem És",de Jessica Bird


Jessica Bird



















Sinopse: Grace Hall é uma socialite deslumbrante, rodeada de glamour, privilégio e riqueza, mas a sua fortuna fez dela o alvo de um louco que anda a matar as mulheres mais influentes de Manhattan. Para se proteger, Grace exige o melhor dos guarda-costas – e depara com muito mais do que esperava.
John Smith é um especialista em segurança intransigente e frio que é tão dedicado ao seu trabalho como é mortífero. Mudar-se para o luxuoso apartamento de cobertura de Grace é a última coisa que deseja, mas é impossível dizer-lhe que não. Quando explica as regras à sua nova cliente, surgem entre eles faíscas, bem como um desejo incendiário. Com Grace nos braços, John dá por si a baixar as próprias defesas. À medida que as noites amenas se tornam escaldantes e o assassino se aproxima, Grace e Smith enfrentam uma escolha crucial: seguir as regras ou seguir os seus corações.


Opinião: Este foi, para mim, um dos livros mais esperados do mês. Tinha uma enorme curiosidade em saber como Ward se sairia com romances policiais e mais uma vez não fui decepcionada. Habituada aos seus famosos livros da “Irmandade da Adaga Negra”, não pude deixar de comparar John Smith com a personagem ZSadist dessa mesma saga. É difícil de chamar esta autora pelo seu nome, ela é e sempre será para nós J.R. Ward, mas a verdade é que Jessica Bird é o seu verdadeiro nome. Este livro foi publicado pela primeira vez em 2004, um ano antes da publicação do primeiro volume da saga da Irmandade e posso dizer seguramente que Ward tem um dom especial para a escrita. Ao contrário de outros autores, ela consegue ser multifacetada e escrever sobre diversos géneros literários, o que é surpreendente.
Este livro conta-nos a história de Grace, uma mulher que aparentemente tem uma vida privilegiada e perfeita, mas que de repente se vê envolvida numa serie de assassínios, na qual poderá tornar-se na próxima vítima. Com o auxílio de amigos contrata uma empresa de segurança para ter consigo um guarda-costas, só não espera encontrar um desconhecido, que na verdade era alguém com quem já se tinha cruzado antes e por quem tinha sentido uma atracção avassaladora. John Smith é o nosso querido bad boy, com todas aquelas características que nós adoramos e logo no início ficamos “caidinhas” pela personagem. Os ingredientes são irresistíveis: passado misterioso, arrogante, auto-suficiente, charmoso…melhor mesmo é parar com as descrições e deixar-vos descobrir o resto. Adorei o livro, apesar de se focar mais no romance entre os dois protagonista e deixar a parte policial para segundo plano, mas talvez isso nos deixe margem para conhecer melhor as personagens. O único defeito tem a ver com as interrupções nas cenas picantes, deixei de contar as vezes que John e Grace foram interrompidos a meio de um acto sexual e em situações que deixam qualquer leitor frustrado, mas tudo isso funciona apenas para um culminar ainda mais emocionante.
Quanto ao assassino, no início não pensava que fosse aquela personagem, mas aos poucos comecei a desconfiar dele, apesar de haver mais hipóteses e até ao final ficar sempre em aberto a possibilidade de ser ou não aquele o culpado.
Mais uma vez, menciono que adorei esta nova faceta da autora e espero sinceramente poder voltar a ler outras obras de Jessica Bird.

0 comentários:

Enviar um comentário