Ésquilo - Promoção por ocasião do 750º Aniversário do Nascimento de D. Dinis





Promoção por ocasião do 750º Aniversário do Nascimento de D. Dinis

9.10.1261 - 9.10.2011




Desconto de 30%


EXÓRDIO A D. DINIS NOS 750 ANOS DO SEU NASCIMENTO

Um dos reis mais completos de toda a Idade Média europeia

Portugal inicia a sua marcha histórica com o longo reinado (1139-1185) do rei-fundador, D. Afonso Henriques. Sucedem-se mais quatro monarcas até que surge um outro soberano que volta a marcar profundamente a história nacional e da Ibéria, o rei-civilizador D. Dinis, que captou o arquétipo histórico, o kairós do seu momento. Governando durante mais de quatro décadas (1279-1325) consolida a ideia de Portugal como reino independente e com personalidade própria, dando mostras de um amplo leque de virtudes que o tornou um dos reis mais completos de toda a Idade Média europeia: legislador de excepção (as suas leis prolongaram-se pelos outros reinados),diplomata genial (chegou a moderar um conflito entre o rei de Castela e o de Aragão com o apoio do Papa e do rei de França, o que fez com êxito total dando origem ao Tratado de Torrelas, 1304), firme e valoroso na guerra (enfrentou com êxito os desafios, primeiro do seu irmão e depois do seu filho, herdeiro do trono),político pragmático e de largos horizontes (veja-se a sua política no contexto ibérico, face ao papado e de nacionalização das ordens militares; vence em Alcanizes, onde se estabeleceu a fronteira mais antiga e estável da Europa, 1297),soberano com um forte sentido de justiça (que o leva a realizar várias inquirições sempre com o fito de moderar o poder da nobreza e do clero concomitante com a sua política de criação de municípios; reestrutura o poder judicial),gestor visionário e inteligente de dinamismo surpreendente (reforma a agricultura com inteligência e grande pioneirismo; desenvolve todas as actividades económicas viáveis; o tesouro do reino prospera de tal maneira que chega a emprestar um milhão de maravedis ao rei castelhano Fernando IV, 1303), homem de cultura, poeta e músico(eleva notavelmente o nível cultural da corte portuguesa sendo ele próprio um poeta de excepção; adopta a língua portuguesa em termos oficiais e cria a primeira universidade portuguesa; um século depois do seu passamento era louvado pelo Marquês de Santillana na Carta-proémio dirigida ao Condestável D. Pedro). Tudo isto sintetizado na virtude fundamental do verdadeiro Rex-Pontifix: a Justiça. Como escreveu Sotto Mayor Pizarro: «Um dos aspectos mais valorizados pelas crónicas, quando se referem ao início do reinado [de D. Dinis] e às qualidades do soberano, é o do exercício da justiça e a preocupação com a segurança dos vassalos». D. Pedro, conde de Barcelos, o cultíssimo filho bastardo do rei-poeta, confirma na sua Crónica Geral de Espanha de 1344: «E este foi o melhor rei e mais justiceiro e mais honrado que houve em Portugal desde o tempo do rei D. Afonso, o primeiro».Já no final do seu reinado consegue manter em Portugal a Ordem dos Templários através da criação da Ordem de Cristo, simultaneamente a Rainha Isabel de Aragão recria em Portugal um Culto espiritual peculiar dedicado ao Espírito Santo e de grande riqueza simbólica. Impulsiona a marinha de guerra e deixa no seu legado os gérmenes que permitirão um século mais tarde génios como o Infante D. Henrique, Governador da Ordem de Cristo, e D. João II, o líder e estratega de excepção, levarem a cabo com êxito décadas de trabalho persistente que tornou redonda a Terra que já redonda era, como escrevia Fernando Pessoa.D. Dinis, o soberano lusitano mais amado de todos os tempos, inclusive com o beneplácito da historiografia actual, foi, sem dúvida, um Grande Português e oRefundador de Portugal!


Paulo Alexandre Loução

In «D. Dinis – O Rei Civilizador»


Título: Dinis - O Rei Civilizador

Autor: Helena Barbas, Maria Máxima, José Carlos Fernández, Paulo Loução

ISBN: 972-978-8092-63-2

Formato: 16X23 Cm

Nº de Páginas: 224 | Capa mole



Uma visão inovadora da vida de um Rei sábio e justo.

Os autores desta obra aprofundam as vertentes fundamentais da vida e do reinado de D. Dinis através de três conjuntos temáticos: 1 – O Rei Civilizador; 2 – O Rei Poeta; 3 – A influência de Isabel de Aragão e o Culto do Espírito Santo.

São vários os enigmas e estimulantes os temas de reflexão a que o reinado de Dinis e Isabel nos desafiam, e que este livro aborda:

«Era D. Dinis um confrade templário? Como trovador estava ligado à corrente esotérica dos Fiéis do Amor? Terá chegado a desejar que o seu filho bastardo Afonso Sanches, também ele poeta, fosse o seu sucessor? O “espírito de liberdade” vivido na Universidade denota uma simpatia de D. Dinis pelas correntes heterodoxas? Terá conseguido, na verdade, ludibriar o Papa ao criar a Ordem de Cristo, sucessora dos Templários? Qual foi o impacto do franciscanismo no seu reinado?Era realmente um poeta de excepção que merece um lugar na história da literatura? Preferia a diplomacia à guerra? A justiça era uma prioridade sua?Enfim, foi o verdadeiro refundador de Portugal?E Dª Isabel, teria simpatia pelo ideal cátaro? Por que só foi canonizada três séculos depois da sua morte, enquanto à sua tia, Isabel da Hungria bastaram uns anos? Por que foi censurado o texto de Pedro Mariz sobre a Rainha Santa? O Culto do Espírito Santo foi criado com base nalguns mistérios templários?»

Estamos certos que este livro lança uma nova luz na descoberta de uma personagem histórica tão ampla e fascinante, que não deve ser encaixada à força nos limites das historiografias redutoras.

Preço: 17,00 € 11,90 €

Adquira aqui



Título: D. Dinis - a quem chamaram o Lavrador

Autor: Cristina Torrão

ISBN: 972-978-8092-92-2

Formato: 16X23 Cm

Nº de Páginas: 416 | Capa mole




Um romance que conduz o leitor à intimidade de um Rei justo, sábio e poeta.

D. Dinis, sexto monarca português, marcou profundamente a consolidação do reino através dos seus quarenta e seis anos de governação. Fundou a primeira universidade portuguesa, substituiu o latim a língua portuguesa nos documentos oficiais, reformou quase todos os castelos, foi um diplomata de excepção, admirado, inclusivamente pelo Papa, incrementou a agricultura, a pesca e o comércio, amante da poesia e da música, ficou imortalizado pelos seus cantares. Mas a tragédia também assolou a sua alma, primeiro foi o conflito armado com o irmão, no final da vida, a dilacerante guerra com o seu próprio filho herdeiro. A seu lado, estava uma rainha de excepção, Isabel de Aragão, com a qual nem sempre as relações foram fáceis…


Neste romance, Cristina Torrão, autora do romance histórico Afonso Henriques – O Homem publicado pela Ésquilo, conduz o leitor à intimidade de um Rei justo, sábio e poeta. Nunca a esfera íntima de D. Dinis foi descrita com tanto detalhe e faceta humana.

Preço:
19,80 € 13,85 €

Adquira aqui





0 comentários:

Enviar um comentário